“Com a queda dos juros básicos, como investir meu dinheiro”?

ANÚNCIO

Há um mês aproximadamente, o COPOM (Comitê de Política Monetária) do Banco Central (BC) aprovou o corte da taxa básica de juros (SELIC) em 0,25 ponto percentual, ou seja, deixando a taxa à 13,75% ao ano. Esse foi o segundo corte consecutivo.

Relembre o primeiro corte: Trovó Academy sai no G1 e comenta a primeira queda da Taxa Selic em 4 anos, quando a taxa caiu no mesmo percentual.

ANÚNCIO

Os juros são usados pelo BC na tentativa de controlar a inflação, de modo que, quando a inflação está alta, os juros sobem com a finalidade de reduzir o consumo e forçar os preços a caírem. O contrário também ocorre da mesma forma. Essa taxa é usada como base para os consumidores finais, mas não serve com exatidão, isso porque os juros dos cheques especiais, empréstimos e cartão de créditos são sempre mais altos.

Vejam essas três notícias abaixo e entenda um pouco mais dos juros!

  1. Cartão de Crédito – ter ou não ter? 
  2. Juros médios do Cartão de Crédito Brasileiro são de 436% ao ano, 10 vezes maior que o segundo colocado 
  3. Entenda como calcular os juros compostos e ficar milionário

O histórico, pequeno histórico, você já entendeu. Mas, e agora, o que isso significa? Para Humberto Rocha, professor de finanças do Insper, se essa queda não tivesse acontecido poderia gerar um mal-estar no mercado.

ANÚNCIO

E quanto aos investimentos: o que muda? Bruno Carvalho, da Guide Investimentos, afirma que com a taxa ainda elevada, a Renda Fixa continua sendo uma boa opção de investimento. Recentemente, publicamos uma notícia com várias opiniões de especialistas sobre a aposta na Renda Fixa em 2017, leia.

Além disso, antes mesmo do corte da Selic, a Goldman Sachs já havia recomendado o Brasil nas Rendas Fixas e também nas Ações para o próximo ano. Leia aqui.

Reprodução: Google
Reprodução: Google

Já para quem faz empréstimos, não há motivos para comemorar – aliás, nunca há. Para Rocha, a queda na taxa não deve resultar em taxas mais atraentes para o consumidor.

Agora, vamos de fato ao que interessa! Com a queda da Selic, como investir meu dinheiro? Separamos os seguintes itens – Poupança, Tesouro Direto, LCA/LCI, CDB, Bolsa de Valores e Dólar – para que você possa escolher e entender melhor um pouco do mercado com essa mudança.

Como investir meu dinheiro?

1 – Poupança

A poupança melhorou, meu povo!

Ah, se você é seguidor da Trovó Academy, já sabe! Pode até ter melhorado, mas a poupança continua na bad, continua ruim! Ela paga um rendimento de 0,5% ao mês mais a TR, por isso, ainda não é indicada. A vantagem, como todos sabem, é que tem isenção de Imposto de Renda, mas isso nem é tão vantajoso assim, veremos no decorrer do texto.

Separamos um vídeo muito especial para você entender porque deve cair fora da poupança, veja:

2 – Tesouro Direto

É o mais indicado! Tem rentabilidade e tem segurança, sim senhor! Acompanha a taxa de juros e é boa para o dinheiro de curto prazo. Rende até 100% da taxa Selic e não sofre alteração diária no preço do papel.

Dica de ouro: como a eleição de Donald Trump balançou o mercado americano, a única opção não indicada é o Tesouro Prefixado já que o cenário sobre a queda de juros ainda é incerto.

Relembre a notícia que marcou o nosso blog: Efeito Trump faz o Ibovespa registrar o pior novembro do século e as 10 ações que caíram

3 – LCAs e LCIs

São boas porque são isentas de IR. A recomendação continua a mesma: investir em papéis que tenham pelo menos 90% do CDI e por investidores que podem manter o dinheiro aplicado por um bom tempo.

4 – CDBs

A dica também continua sendo a mesma: os bancos menores pagam melhores taxas. A recomendação é investir em papéis que paguem pelo menos 102% do CDI. E, por ter o Fundo Garantir de Crédito como segurança, invista não mais do que 250 mil reais, colegas!

Falando em garantia, você sabe o que pode acontecer se o seu banco falir? Descubra.

5 – Bolsa de Valores

Está sendo super indicado para investimentos à longo prazo isso porque a queda dos juros favorece a bolsa e aumenta a procura por ativos de maior risco. É preciso atentar-se a setores que vão crescer com a retomada da economia, tais como o de varejo e siderurgia.

Separamos 3 notícias tops para você entender um pouco mais da Bolsa de Valores e saber em quem apostar no próximo ano. Veja:

  1. Ações da Vale saltam 240% em 2016 
  2. Santander lista 7 Small Caps para 2017
  3. 16 ações que mais valorizaram na Bolsa de Valores 

6 – Dólar

Quem já tem gastos programados em moeda estrangeira, pode ir comprando aos poucos, para ter um preço médio. Essa é a única indicação. Já como forma de investimento, os especialistas não indicam. É preciso atentar-se também às aplicações ligadas ao câmbio, que tem opções com a moeda estrangeira.

Com informações da UOL

ANÚNCIO