Aprenda como ter uma carteira de investimentos ideal – tutorial para iniciantes

ANÚNCIO

O que você sabe sobre ter uma carteira de investimentos ideal? A carteira ideal é aquela que vai significar a maior possibilidade de ganhos e a menor de perdas, correto? Mas, para cada investidor há uma carteira ideal. Por isso, é preciso aprender a montar a sua própria carteira.

É claro que você pode fazer isso com a ajuda de uma corretora de investimentos ou de um assessor. No entanto, o que queremos dizer é que você também pode entender como uma carteira de ativos pode ser montada pensando em cada pessoa, cada indivíduo.

ANÚNCIO

As dicas para ter uma carteira de investimentos ideal

Antes de qualquer coisa, é importante saber que todas as dicas aqui citadas foram baseadas em um texto que fizemos no ano de 2019. A ideia com esse novo material é que ele estivesse mais atualizado. De qualquer modo, se quiser ver a matéria inicial, clique aqui.

Por outro lado, saiba que aqui também estão todas as dicas que foram citadas lá. Com a diferença de que melhoramos e aumentamos as informações de uma forma mais dinâmica. Por isso, a leitura desse conteúdo é, categoricamente, mais atual.

O momento

De fato, existe um momento certo para começar a pensar na diversificação da carteira de investimentos. Por exemplo, se você ainda tem dívidas e nem montou a reserva de emergência, então, saiba que esses passos iniciais são bem mais prioritários.

ANÚNCIO

Em um segundo ponto, ainda que você não tenha dívidas e já tenha uma reserva, saiba que é preciso começar a estudar o mercado, as corretoras, os ativos, os fundos. Esse é o caminho e se você estiver nele, com certeza, está no momento certo.

O orçamento

Assim, o segundo ponto importante aqui é você saber qual é a sua realidade financeira. Ou seja, qual é o seu orçamento hoje e quanto você poderá aplicar mensalmente ou anualmente. Isso fará uma grande diferença depois.

Afinal, se você pode aplicar R$ 1 mil então dá para pensar em vários ativos da renda fixa. Mas, se for abaixo disso, o ideal é pensar em alternativas mais acessíveis, como fundos, por exemplo. Logo, saber sobre o orçamento faz todo sentido.

Os objetivos

Outra coisa importante para montar uma carteira de investimentos ideal é pensar nos objetivos financeiros que você tem. Você pode ter uma ótima carteira, com fundos, pós-fixados, renda fixa, ações, multimercado, internacionais, ouro, dólar, etc.

Porém, para que serve cada um desses ativos? Se você não tiver uma boa resposta, então, é melhor dar um passo a trás. Isto é: para cada objetivo que você tem na vida vai existir uma melhor aplicação, um melhor ativo. Para a reserva, aposentadoria, viagens. Tudo.

O foco

O foco que trouxemos aqui é no intuito de mostrar que apesar dos objetivos, você tem que ter foco para entender o mercado e saber aplicar o dinheiro para cada meta que foi estipulada. Afinal, nem sempre vai ser fácil conseguir isso.

Nós, brasileiros, costumamos ter muitos problemas com impostos, burocracias, dívidas e até mesmo com a falta de conhecimento. Porém, investir dinheiro é um exercício simples, que demanda de muito foco. Então, esteja focado!

Os percentuais

Sobre os percentuais, o que queremos dizer é que para cada objetivo e cada grupo de ativos que você tenha, você poderá criar percentuais diferentes. Assim como para a sua carteira toda também. Calma que vamos explicar isso de um modo simples.

Você pode ter uma carteira de ativos que tenha 50% em renda variável e 50% em renda fixa. Ok. Dentro da renda fixa, você pode ter 50% pós-fixado e 50% prefixado. E dentro das ações, pode ter estatais, internacionais, tecnologia, varejo, bancos, etc. Entendeu?

A ideia é que você note que não é legal aplicar todo dinheiro em um único lugar. É claro que aplicar tudo no mesmo ativo pode parecer bom quando você vê que ele vai surtir resultado positivo. Porém, isso aumenta as chances de perda também.

O perfil

Para completar o tópico acima, saiba que na hora de estudar aonde vai o seu dinheiro, ou melhor, qual parte vai para onde, saiba que você tem que ter muito bem-definido qual é o seu perfil de investidor.

Afinal, se você é conservador, não adianta pensar em ter uma carteira com 50% ou mais em ações, ok? Se é arrojado, não adianta ter 90% em renda fixa. Então, o estudo do perfil é importante e quanto mais minucioso, melhor será para a hora de aplicar o dinheiro.

A regularidade

Também é legal saber que uma carteira de investimentos ideal se faz ao longo do tempo. Então, não adianta você pegar todo dinheiro que tem hoje e dividir na sua carteira perfeita e nunca mais mexer nela. Ao contrário, o ideal é que continue aplicando mês a mês.

carteira de investimentos ideal

Além dos rendimentos que você poderá ganhar com os ativos, esses aportes mensais também farão a diferença ao longo do tempo. Aí, vem um segundo ponto a ser considerado aqui nesse texto: o rebalanceamento da carteira, leia abaixo.

O rebalanceamento

A ideia do rebalanceamento é que você entenda que enquanto os juros do país estão baixos, investir pensando em um Tesouro IPCA (que vence a inflação é bom). Mas, quando os juros voltar a subir, talvez um ativo prefixado possa ser melhor.

Saiba montar uma carteira de investimentos pensando na aposentadoria!

Por isso, você sempre que estar estudando o mercado. Assim, você poderá variar a sua carteira com base na atualidade, mantendo ativos e rendimentos sempre na melhor situação possível. A ideia de aplicar uma vez e deixar o dinheiro lá para sempre não é legal, ok?

ANÚNCIO