As 5 Taxas cobradas no Cartão de Crédito que fazem você perder muito dinheiro

O Cartão de Crédito é tudo de bom: facilita na compra online, ajuda no parcelamento dos produtos de altos valores, dá desconto no cinema, dá milha de vantagens e faz com que você nem precisa sacar o salário para usar o dinheiro… É a criação do século!

Será? Será? Será?

Pare de achar que o seu Cartão de Crédito é o que vai te tirar do sufoco financeiro porque, na real, ele só te empurra ainda mais para o fundo do poço. Escrevemos este artigo para mostrar uma das formas mais “ingênuas” na qual os bancos ganham dinheiro em cima de vocês: através das taxas.

No final do texto teremos 2 bônus:

  • Como funcionam as novas regras do rotativo do Cartão de Crédito,
  • Como evitar os golpes do Cartão de Crédito.

Listamos as 5 taxas cobradas que fazem parte de uma nova regulamentação criada pelo Banco Central, a partir de 2011 e isso aconteceu porque, até então, haviam mais de 80 tarifas diferentes que era cobradas para a utilização do cartão. Sim, OI-TEN-TA tarifas! Agora são só 5, confira aí.

1 – Anuidade do Cartão de Crédito

Ou para parecer mais “aceitável”, chamam de Taxa de Manutenção.

Ela é cobrada pelos bancos para custear os gastos do cartão de crédito. Assim sendo, cada instituição financeira pode cobrar um valor diferente para essa taxa e para cada tipo de cartão de crédito.

A regra é mais ou menos assim: quanto mais benefícios você tem, maior será a sua taxa. Então, cuidado com todas essas vantagens que os bancos te oferecem através desse cartão!

Por sinal, quanto mais antigo o cliente é, pode ser que ele também consiga algum “descontinho” nessa taxa. Na verdade, “quem não chora não mama”.

Na verdade e infelizmente não há muito argumento para você saber se está pagando caro pelo serviço: sendo que o único é pesquisar os valores dos mesmos serviços em bancos concorrentes. Analise o valor e os benefícios e descubra!

Uma boa observação que podemos fazer é o fato de que alguns cartões de créditos, de instituições independentes, têm isentado essas taxas, o que ajuda o mercado a se mexer, o que é bom para o consumidor.

Se você ainda não ouviu falar do Nubank, leia essa matéria. Ele é um cartão de crédito que não essa taxa de administração por ser um serviço online.

5 Vantagens do Cartão de Crédito Nubank

2 – Saque do Cartão de Crédito

O seu Cartão de Crédito com certeza tem um limite, que nada mais é do que um empréstimo que o banco te faz para você pagar no mês seguinte (com juros, claro). A questão é que, em se tratando de empréstimo, esses juros são muito altos.

O que são juros muito altos? No caso do saque dos cartões de créditos, são algo em torno de 17% ao mês. Um absurdo!

Mas não é só isso, o saque do dinheiro no cartão de crédito ainda te cobra o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que é automaticamente.

O valor também é variável, mas fica na média entre 8 reais e 25 reais CADA SAQUE! (Vamos ter uma pequena simulação abaixo, confira).

Então, definitivamente, o saque do dinheiro do cartão de crédito não compensa. O jeito é sempre procurar alternativas e em um último caso, vale mais a pena fazer um empréstimo pessoal, por exemplo, que tem taxas e juros bem menores.

Vamos à simulação: você vai lá ao caixa eletrônico sacar 200 reais do seu cartão de crédito. Aí, você vai pagar 17% de juros e mais 12 reais de taxa (média). O que vai dar um gasto de 246 reais. Dos 200 reais que você iria sacar, perdeu 46 reais só com impostos e taxas.

  • Praticamente ¼ do seu saque. Acha mesmo que compensa?

Ah, se você vai viajar para o exterior, saiba que esses gastos são bem maiores. Tanto é que especialistas recomendam levar o dinheiro em espécie nesses casos, o que poderia representar uma economia de até 30% dos gastos planejados.

Uma dica final sobre o saque do cartão de crédito é: faça o pagamento antecipado sempre que puder porque, assim, você consegue reduzir os juros cobrados. Vamos falar um pouco mais sobre isso em um próximo artigo.

3 – Emissão da Segunda Via do Cartão de Crédito

Na verdade, não é nada incomum de acontecer o fato do seu cartão de crédito ser roubado. Aliás, mesmo que você perca-o e esteja precisando com urgência, o que fazer? Para esses casos, a melhor solução é pedir uma segunda via, que é cobrada.

O único caso onde não é cobrado o valor é quando a perda do cartão ocorrer por responsabilidade do banco.

Nesse caso, os valores também variam muito. De qualquer forma, é um gasto que pode ser evitado!

4 – Pagamento de Contas pela Cartão de Crédito

A maior parte dos bancos permite que os pagamentos gerais (como boletos) sejam feitos via cartão de crédito. Sim, parece ótimo poder pagar a sua conta de água, de luz ou do celular pelo cartão de crédito, não é? #SQN!

Sabe por que não é bom utilizar essa ferramenta? Porque os bancos cobram taxas em cima do valor da sua conta que foi paga, ou seja, quanto maior o valor, maior a taxa.

A melhor saída é pagar de outra forma e evitar esse gasto, totalmente desnecessário.

5 – Avaliação Emergencial do Limite do Crédito

Esse é um dos serviços menos conhecidos pelas pessoas. Imagine que você tenha que fazer uma compra com um valor que seja acima do seu limite, então, você pode solicitar esse aumento de crédito no banco. Até aí tudo bem, mesmo porque o banco pedirá um tempo para reavaliar tal pedido.

O fato é que você também pode fazer isso de forma automática, sem pedir tal autorização. E acontece quando você realiza compras acima do seu limite de crédito. Isso é considerado uma avaliação emergencial, que, obviamente, é cobrada pela instituição financeira.

Novamente, o valor varia conforme o banco e o cartão usado.

Bônus 1: Como funcionam as novas regras do rotativo do Cartão de Crédito

Esse tópico é uma bonificação, mesmo porque pode ser que você já tenha ouvido falar dessas novas regras. Por isso, vamos sintetizá-las, se é que você ainda não entendeu alguma coisa.

As novas regras começaram a valer em abril deste ano e tem como objetivo diminuir vários problemas dos brasileiros com as dívidas feitas no cartão de crédito.

7 #Vídeos para Aprender como Sair as Dívidas e Ganhar Dinheiro em 2017

O que acontecerá é que as instituições financeiras vão precisar oferecer aos seus clientes, outras modalidades de parcelamento da fatura, que devem ter juros e prazos definidos e não apenas o famoso PAGAMENTO MÍNIMO, que corroía o orçamento e a vida de muitas pessoas.

Para os bancos, não há tantas vantagens, exceto que cairá, com certeza, o número de inadimplentes.

Para se ter uma ideia, antes a taxa de juros do rotativo podia ultrapassar os 17% ao mês e  agora esses juros não devem ultrapassar mais do que 9,99% no mesmo período.

Alguns bancos já divulgaram suas novas taxas, confira:

  • Taxa de juro Banco do Brasil: de 1,91% a 9,38%
  • Taxa de juro Itaú: 0,99% a 8,90%
  • Taxa de juro Bradesco: não divulgada
  • Taxa de juro Santander: de 2,99% a 9,99%
  • Taxa de juro Caixa Econômica Federal: de 3,3% a 9,9%

As novas regras são aplicadas para todos os cartões, independente da bandeira, do banco ou das lojas comerciais.

Note, no entanto, que a regra maior ainda continua valendo: o melhor é sempre pagar a fatura integral, mesmo porque quanto maior for o prazo, maior serão os juros, o que tornará o montante cada vez mais alto.

Leia Também:

Guia Completo sobre as Novas Regras do Cartão de Crédito: Quando Usar e Como Economizar Dinheiro!

Bônus 2: Como evitar os golpes e clonagens do Cartão de Crédito

Quando se trata de cartão de crédito, não é incomum que os consumidores sofram com o golpe. Normalmente, elas recebem a fatura do mês e percebem gastos e compras que não fizeram ou, simplesmente, quando o saldo some da conta, sem mais nem menos.

No Brasil, a forma mais usada para fraudar um cartão de crédito é através da clonagem, onde o cartão tem sua identificação magnética copiada e gravar em outro cartão neutro.

Só que essa técnica evoluiu e hoje é comum que apenas os dados básicos do cartão (como número, nome do usuário, data de vencimento e código de segurança) sejam roubados, o que também torna possível a clonagem.

Note, no entanto, que um cartão de crédito falso é diferente de um cartão de crédito clonado. O clonado é o copiado, como você notou.

O cartão de crédito falso é vendido com preço definido conforme o valor de limite que ele terá. Trata-se de um esquema organizado. E a grande preocupação, neste caso, é dos lojistas, que precisam ter bons mecanismos ara identificar a segurança do cartão e bloquear a venda.

Se você usa cartão de crédito falso, saiba que deverá responder por crime de estelionato.

Como acontecem os principais golpes de cartão de crédito

São vários os tipos de golpes que resultam na clonagem do cartão.

1 – Máquinas de Pagamento Eletrônico

Os “bandidos” instalam equipamentos que copiam os códigos nas máquinas de pagamento em estabelecimentos comerciais. Normalmente, a ação é feita em conjunto, entre os atendentes das lojas e a quadrilha de clonagem. Depois, as informações magnéticas são copiadas e a senha é gravada.

2 – Caixa Eletrônico do Banco

O seu cartão também pode ser fraudado no banco, onde as quadrilhas usam formas criativas para conseguir o objetivo. Por exemplo, usam o “chupa-cabras”, que é um equipamento instalado nos caixas eletrônicos que rouba a identificação dos cartões.

É, na verdade, um painel falso, que esconde ainda uma câmera que filma a senha digitada. Logo, eles tem acesso à toda informação.

3 – Cartão preso no Caixa Eletrônico

Também já foi descoberto um novo método de fraudar cartões. Os ladrões implantam o uso de um telefone celular dentro das agências bancárias que diz dar assistência aos clientes quando o cartão ficasse preso no caixa.

Porém, quando ligam nesses números, os consumidores são clonados porque passam as informações necessárias para tal ação.

4 – Phising

Phising vem de fishing e é um termo usado para “pescar” os consumidores mais ingênuos.

Ele funciona através do meio eletrônico (e-mail, site ou sms), usando a identificação de uma empresa confiável, como um banco. Então, as quadrilhas se passam por técnicos dessas empresas para solucionar problemas dos clientes e pegam as informações necessárias.

Na verdade, é um dos métodos mais antigos, talvez tanto quanto o do bilhete premiado, mesmo assim milhares de pessoas caem todos os dias.

Toda e qualquer clonagem de cartão se classifica como crime de roubo de identidade e pode ser enquadrada como crime de estelionato e formação de quadrilha.

Tem gente que perde milhões de reais com Fraudes… #7 Passos para não cair nesses golpes!

1 – Correspondência – Alguns ladrões se passarão por você e mudarão seu endereço para conseguir acesso às suas contas. Logo, eles terão todos os tipos de informações confidenciais que poderão ser usadas para roubar a sua identidade.

Então, a dica, nesse caso é: se você deixou de receber alguma correspondência, entre em contato com o remetente imediatamente e verifique o motivo.

2 – Lixo – Vá até o seu lixinho que está cheio de papeis e note quanta informação útil nós deixamos lá. As empresas, normalmente, tomam medidas de segurança para que o lixo ou o material de reciclagem não seja roubado.

E eles começaram a fazer isso depois que oportunistas perceberam que ali haviam várias informações importantes e valiosas. Então, o mesmo vale para você: certifique se não há nada que possa ser útil para terceiros no seu lixo.

As Principais Armadilhas do Cartão de Crédito: Vale a pena ou não Parcelar as Compras?

3 – Telefone – Talvez seja um dos golpes mais comuns. Acontece quando alguém liga pedindo informações pessoais. Então, eles fingem ser do seu banco ou de algum órgão do governo. Aí, as ligações exploram o fato de que você possivelmente estará cansado do trabalho do dia a dia e ficará mais fácil de passar as informações mesmo que sem intenção.

O segredo aqui é sempre retornar ao banco, você ligando diretamente para lá e perguntando sobre o assunto.

4 – E-mail – É comum de acontecer e para piorar vem de e-mails que você conhece, inclusive, em muitos casos de amigos seu. No entanto, é preciso ficar atento porque esses e-mails podem ter sido hackeados.

Há relatos de várias histórias como de pessoas que foram viajar e ficaram sem dinheiro no exterior ou algumas até que falam de dinheiro para tratamentos médicos. Não há dúvidas que a melhor saída é confirmar a situação pessoalmente ou por uma ligação.

5 – E-mail da Sorte – Ou Golpe Virtual! É quando chegam e-mails de “falsos” bancos pedindo informações. OU também algumas associações dizendo que você ganhou dinheiro na loteria virtual, mas, para isso, é preciso fornecer algumas informações importantes e pessoais.

Aliás, todas essas histórias que “parecem boas demais para ser verdade”, precisam ser verificadas com muita (muita mesmo) cautela.

6 – Investimento – Se alguém prometeu a você uma fortuna em poucos meses que você pode conseguir através de um investimento fantástico, então, saiba que esse investimento ainda não existe. Ainda mais se a pessoa dizer que ele não tem risco. Esse caso é um dos mais atuais e está sendo chamado de Esquema Ponzi que é uma contradição ao mundo das finanças, onde os rendimentos aumentam junto com os riscos.

7 – Ações – Alguém já tentou te vender algumas ações sem nenhum prospecto ou qualquer documentação endossada pelas autoridades dos mercados financeiros? Acredite, mesmo nas comercializações onlines, existem comprovações feitas com papel…

É aquela papelada toda. Então, só assine folhas quando ler o contrato e entender o que está escrito lá. Isso também vale para ações.

Ah, é importante que você faça também a sua parte. Na internet, atualmente, há vários sites que te auxiliar na busca de e-mails suspeitos. O que você vai precisar fazer é copiar um trecho do seu e-mail no mecanismo de busca e lá muitas informações vão aparecer.

Além disso, o mais comum é que os bandidos se passem por falsos funcionários, então, para tudo cair por terra, basta certificar se na empresa em destaque existe aquele funcionário.

Caí em um golpe do cartão de crédito: o que fazer?

Se você já passou por uma dessas situações listadas acima, é muito provável que esteja suando frio ou, no mínimo, muito irritado. É muito comum vermos essas queixas nas redes sociais, com reclamações, desabafos e comentários. No entanto, muito pouco se falar sobre o que deve ser feito nesses casos.

E é sobre isso que vamos falar agora!

A solução é burocrática.

O primeiro ponto é provar que não foi você quem fez as compras. Aí, como isso não é fácil, muitos clientes acabam tendo que pagar as contas ou, quando não conseguem, tem o nome listado no Serasa, o que, para ambos os casos, gera uma tremenda dor de cabeça.

De acordo com o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor, os bancos tem que arcar com toda responsabilidade e prejuízos da fraude, reembolsando as vítimas o mais depressa possível, pagando, inclusive, a indenização, caso seja comprovado algum tipo de dano moral ou negligência por parte do banco.

O passo a passo para casos de clonagem do cartão de crédito

1 – A primeira providência a tomar é ligar para o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) do seu banco para bloqueio imediato do cartão.

2 – Após bloquear o cartão, dirija-se imediatamente à delegacia mais próxima à sua residência e faça um Boletim de Ocorrência (B.O). Atualmente, esse B.O também pode ser feito online, pelo computador.

3 – Depois, o ideal é ir até a sua agência bancária relatar o acontecido ao seu gerente, entregando uma via do B.O e pedindo para que ele assine a via com a data de entrega do B.O.

4 – A partir de então,  responsabilidade de detectar a fraude é do banco, que tem que reembolsá-lo e tratar de todos os procedimentos legais.

5 – Se o banco não cumprir a responsabilidade em um prazo de até um mês, o consumidor poderá fazer uma reclamação oficial junto ao Procon, juntamente, se possível, com apoio jurídico, a partir da qual será possível ajuizar uma ação judicial.

Justiça…

Se o problema do cartão clonado não for resolvido, o mais provável é que ele chegue na Justiça. Nessa situação, todo consumidor precisará de um advogado, que além de resolver o problema, poderá pedir uma indenização ao banco pelos transtornos causados.

Outra boa dica é cadastrar o seu celular para receber uma mensagem cada vez que uma compra é feita pelo seu cartão de crédito. Dessa forma, você é informado no exato momento da compra e fica ainda mais fácil resolver.

Resultados

Depois que tiveram essa experiência negativa, muitas pessoas (61%), optaram por mudar a forma de usar o cartão de crédito, dando preferencia ao dinheiro ou cheque, por exemplo. Desse total, 9% não voltou a usar mais o cartão em nenhuma hipótese.

Outro número é referente ao atendimento que receberam dos bancos. A maior parte dos entrevistados, 56%, afirmaram que ficaram insatisfeitos com a assistência que receberam.

  • 23% esperava que o banco detectasse a fraude e lhe informasse.
  • 29% esperava um rápido reembolso do valor em dinheiro usado com a fraude do cartão.
  • 39% dos possuidores de cartão de crédito temem ter cartão clonado.

Dicas Simples para Evitar a Clonagem

Você pode se prevenir seguindo algumas dicas como:

  • Não compartilhar sua senha com ninguém;
  • Só comprar em sites confiáveis na internet;
  • Ler comentários de usuários sobre o site que você está comprando;
  • Trocar suas senhas de seis em seis meses, no mínimo;
  • Não clicar em links enviados por e-mail. Na dúvida, vá até sua agência;
  • Não responder mensagens telefônicas dos bancos que pedem dados ou procedimentos – é golpe!

Com informações do hintigo