Como funciona o Cabify, considerado o principal concorrente do Uber

Economia Compartilhada é um termo que está em alta! Quando eles são usados no setor de transporte, funcionam de forma parecida: o usuário se cadastra, marca os pontos de partida e destino e requisita um veículo. O motorista disponível faz o transporte.

E, ao final da corrida, o valor é cobrado automaticamente, sendo que ambos (motorista e passageiro) podem fazer uma avaliação da experiência.

Se você conseguiu entender o processo, deve ter lembrado do Uber, não é? Pois é exatamente assim que ele funciona. Mas, além de falar dele, vamos citar também o Cabify, um novo aplicativo que aparece como principalmente concorrente do Uber.

Entenda como ambos funcionam e saiba como tirar vantagem deles.

Uber

“A única exigência é que o motorista cadastrado faça pelo menos uma corrida por mês para manter seu cadastro ativo. Você pode dirigir e ganhar tanto quanto você quiser”.

E quanto ganha um motorista do Uber? A pergunta e a resposta são dos anúncios da empresa.

Como funciona o Cabify, considerado o principal concorrente do Uber
Reprodução: Google

“O pagamento é semanal e tudo vai variar conforme o empenho do motorista. Quanto mais ele trabalhar, mais ele arrecada. Para se ter uma ideia, calculamos que um motorista trabalhe cerca de 8 horas por dia. Assim, o valor médio estimado é de 250 reais, logo, o valor semanal será de 1,7 mil reais”.

Cabify

O Cabify surgiu na Espanha em 2011 e chegou ao Brasil em junho do ano passado, ficando disponível, inicialmente, em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

O principalmente é exatamente o mesmo do Uber, porém, o aplicativo afirma ter algumas características próprias: o usuário seleciona o destino, pede um carro e aguarda pelo veículo.

Ricardo Werder é presidente de operação do Cabify na América Latina e cedeu uma entrevista ao Valor Econômico, onde disse que o app pode ter a maior operação do mundo no Brasil.

Até junho do ano passado, o aplicativo contava com 10 mil pessoas cadastradas para trabalhar com o Cabify em São Paulo, sendo que a prioridade eram motoristas não listados no concorrente Uber.

Quais os valores do Cabify

O Cabify Lite é uma versão popular do aplicativo e é equivalente ao UberX, sendo que a maior diferença entre ambos é a forma de calcular os preços.

A empresa espanhola considera apenas a distância percorrida e não, necessariamente, o tempo de transporte. Isso, conforme o aplicativo, é vantajoso porque “significa que o usuário nunca vai pagar a mais caso fique parado em um congestionamento, por exemplo”.

Os preços são definidos no site da empresa, onde é possível fazer simulações.

Como funciona o Cabify, considerado o principal concorrente do Uber
Reprodução: Google

Em São Paulo, por exemplo, o Cabify Lite fica em 2,90 reais por quilometro rodado até os 10 primeiros quilômetros. Depois, 1,85 entre os 10 e os 25 quilômetros. E 3 reais por quilometro a partir dos 25 quilômetros.

O preço de espera é de 0,40 reais a cada 3 minutos e há uma tarifa mínima de 7 reais para uma corrida, que passa para 25 em caso de reserva. .

O valor varia de cidade para cidade, obviamente.

Há outra diferença também: “Com o Cabify, nós, motoristas, temos acesso direto ao telefone do usuário, assim conseguimos entrar em contato com o cliente em locais com grande número de pessoas, como aeroportos, shoppings, etc”, disse um dos usuários.

Como se tornar um motorista Cabify

Para os motoristas interessados, o aplicativo exige alguns documentos como CNH (que tem que constar a opção exerce atividade remunerada), atestado de antecedentes criminais, certificado de registro, licenciamento do veículo e apólice de seguro.

Além de exames médicos, avaliação psicológica e agendamento de capacitação.

Quanto aos carros, precisam ser modelos a partir de 2011 e em cores neutras (branco, preto, cinza ou prata), além de ter opcionais como ar-condicionado e rádio e estar em perfeitas condições mecânicas.

Qual escolher: Uber ou Cabify

Essa escolha é muito pessoal de cada usuário, mas buscamos informações no site Reclame Aqui para que tenhamos uma dimensão. Vale lembrar que o Uber está no Brasil desde 2014 e o Cabify chegou no ano passado.

Assim, o Uber somou mais de 17,5 mil reclamações, das quais 89,4% foram atendidas em um tempo médio que vai entre 10 dias e 22 horas. Sendo que a solução foi de 69,6% e 68,8% das pessoas afirmaram que voltariam a fazer negócio com o Uber.

A nota média do serviço é de 5,47, classificado, assim, como regular.

Já o Cabify recebeu 183 reclamações, das quais todas foram atendidas e 72,7% afirmaram que voltariam a usar o aplicativo. 79,5% garantiram também que tiveram seus problemas solucionados. A nota média é de 6,6, considerada como boa.

Mas, vale a pena usar esses meios de transportes? 

Aqui no blog, nós publicamos uma notícia com um vídeo gravado pelo Trovó sobre o Uber. Na verdade, o vídeo é para responder à uma questão muito comum entre os nossos seguidores “O que compensa mais: andar de Uber, de Carro Próprio, alugar um Carro ou Táxi”?

Qual você acha que é a resposta? Vamos dar uma dica: “O aluguel não compensa, nunca. Porque mesmo que a distância seja pequenininha, você vai gastar por ano, aproximadamente, 23 mil reais se a distância for curta. Se a distancia for longa, acima de 10 quilômetros, você vai gastar por volta de 30 mil”.

Mas e aí, é mais vantajoso o Uber ou o Carro Próprio?

A resposta foi muito franca, mas deu o que falar. Por isso, resolvemos trazer mais essa notícia, em cima de algumas informações ditas pelos próprios organizadores do Uber.  Ah, antes de continuar, veja o vídeo e tire suas próprias conclusões:

Como Calcular os Gastos de um Carro

E depois que você comprar um carro ou se já tiver um… Sabe como fazer o cálculo dos gastos mensais e anuais dele? Será que é 10% do valor total? Será que tem como fazer uma previsão? Será, Será, Será?

A regra é a seguinte: pegue o valor do seu salário mensal e multiplique por 6. O resultado é o valor máximo do carro que você poderá financiar. Exemplo: um salário de 3,3 mil reais multiplicado por 6 vai dar um valor médio de 20  mil reais.

“Mas Trovó, quero um carro que custa 50 mil reais”. Ok. Dê um jeito de melhorar o seu salário e aí você poderá comprar um carro de 50 mil reais. Gostou? Leia a notícia toda! 

Com informações do techtudo, vidacigana e freetheessence