Investir no BOVA11 vale a pena? Conheça mais sobre esse ETF

ANÚNCIO

Sempre que a gente vai procurar alguma notícia ou informação sobre o BOVA11, a gente acaba ouvindo falar das vantagens. Por exemplo, investir em várias empresas ao mesmo tempo. Assim como fazer isso com pouco dinheiro. Mas, será que o BOVA11 vale a pena mesmo? Vamos estudar o assunto.

De fato, para quem quer começar a investir na renda variável, o BOVA11 pode fazer sentido. É uma espécie de fundo de ações, que tem um conjunto de ações dentro dele. Mas, atenção: não é um fundo e sim uma ETF. Se você não entendeu, continue lendo porque é fácil saber como um ETF funciona.

ANÚNCIO

Uma ETF (Exchange Traded Funds) é um fundo negociado na bolsa de valores. No entanto, ele funciona através de um índice. No caso do BOVA11, o índice usado é o Ibovespa, que é o principal da bolsa de valores do Brasil. Logo, esse ETF é chamado de fundo de índice também.

Para deixar tudo mais fácil, a gente pode concluir a ideia dizendo que esse ETF do BOVA11 replica (reflete) o desempenho das ações mais negociadas da B3, que estão no Ibovespa. Aliás, dá para dizer ainda que o BOVA11 é um dos ETFs que existem porque tem outros.

Como funciona o BOVA11

A gente já sabe um pouco sobre o funcionamento de um ETF e sabemos também sobre o BOVA11. Mas, vamos detalhar ainda mais sobre ele. Afinal, a ideia é saber se o BOVA11 vale a pena, não é mesmo?

ANÚNCIO

A primeira informação é a de que ele é o ETF que tem o maior volume de negócios da bolsa, sendo 80% do total dos ETFs. Isso quer dizer que, somente em 2019, foram negociados mais de R$ 125 bilhões em cotas de fundo.

Assim, também podemos dizer que é um produto com alta liquidez. Do lado histórico, saiba que o BOVA11 existe desde 2008 e foi um dos que inauguraram o mercado da aplicação no país. Mas, ele ganhou destaque mesmo há alguns anos.

A gestão do ETF é do BlackRock. Atualmente, a taxa de administração é de 0,30% ao ano. Logo, é um valor interessante se comparado a fundos de investimentos, que tem taxas que partem de 0,50%. Mas, essa baixa taxa tem uma explicação.

O motivo é que esse ETF tem gestão passiva. Ou seja, ele apenas segue um índice que já existe. Logo, não tem o objetivo de ficar muito acima da média do índice, mas sim manter um rendimento parecido.

As vantagens e desvantagens

Finalmente, temos um ponto que vai ser bem focado em ajudar você a saber a resposta para descobrir se o BOVA11 vale a pena ou não: as vantagens e as desvantagens. Logo, vamos considerar os pontos positivos primeiro.

Primeiro, a facilidade de ter uma “carteira” com várias ações listadas na bolsa sem ter que ficar escolhendo e estudando de uma em uma. Logo, isso explica também porque o BOVA11 é indicado para iniciantes na renda variável.

Outra vantagem é que a compra de uma cota de ETF é muito mais segura do que comprar ações individuais. O motivo é que isso considera vários setores ao mesmo tempo, o que pode balancear o conjunto das ações.

Só que nem tudo são flores, né. Por exemplo, saiba que um ETF tem a cobrança do imposto de renda para operações abaixo de R$ 20 mil mensalmente. E nem mesmo a taxa de corretagem.

O que é índice Bovespa – o Ibovespa?

Assim, a alíquota incidente na aplicação é de 15% do lucro. Inclusive, esse é o lado ruim do BOVA11. Mas, saiba que é algo comum no mercado da renda variável.

A rentabilidade do BOVA11

Esse ponto também nos interessa e muito. Considere que como todo ETF, o BOVA11 depende do rendimento das ações que compõe a sua carteira teórica. Logo, é legal a gente saber que desde que foi criado, ele rendeu mais de 180%.

Em 2019, o rendimento anual passou dos R$ 22%. Aqui temos mais um motivo que explica porque tanta gente que está na renda fixa começou a pensar em investir em ETFs, como é o caso do BOVA11. Apesar de ter risco maior, ele também pode permitir ganhos maiores.

Atualmente, uma cota do BOVA11 está na casa dos R$ 100. Logo, a gente não pode deixar de falar que ele teve uma queda acentuada durante a pandemia. Em 14 de fevereiro a cota estava em R$ 110. Em 20 de março, caiu para R$ 66.

Então, o BOVA11 vale a pena?

Já chegando ao fim, considere novamente a pergunta-chave do texto. Para te ajudar a refletir sobre isso, saiba ainda que temos um “concorrente” do BOVA11, que é o BRAX11. Nesse caso, temos outro ETF, com características parecidas.

BOVA11 vale a pena

O que muda é que o BRAX11 segue o Índice Brasil 100 (IbrX-100), que é composto pelos 100 papéis mais negociados da bolsa. Logo, ele também é da BlackRock e tem uma taxa de administração baixa, de 0,20% ao ano. No entanto, ele tem menos liquidez por ser mais novo.

Com tantas informações, você já está pronto para saber se vale a pena investir em um ETF e se esse ETF pode ser o BOVA11. E aí, o que você diz, acha que é uma boa opção de ativo para você ou é melhor esperar um pouco mais para entender mais do mercado acionário?

Para finalizar a matéria, jamais se esqueça de que há taxas, como a de corretagem e os emolumentos, ao investir em ETF, ok? De qualquer modo, ainda assim, essa pode ser uma boa ideia para você.

ANÚNCIO