Banco Santander antecipa saque do FGTS Inativo: 5 Motivos para saber se Vale a Pena

O Banco Santander anunciou que está antecipando para os seus clientes o Saldo Disponível para saques do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) Inativo, que foi liberado recentemente pelo Presidente Michel Temer. A linha, conforme informações do Valor, está valendo desde a última segunda-feira (23). O valor correspondente ao saldo é liberado em até 24 horas. E o pagamento ao banco é feito em parcela única, assim que o FGTS for liberado.

E aí, o que achou da notícia acima? Loucura, Loucura, Loucura. Como diria um apresentador da televisão brasileira. E é loucura mesmo. Aliás, o que nos esquecemos de falar foi: A TAXA DO FINANCIAMENTO PODE CHEGAR A ATÉ 4,59% AO MÊS. Ah, amigão, achou que o Banco era o seu parceiro, né… Vai nessa, vai!

Só uma dica! Antes de continuar lendo esse artigo, faça um favor e assista o vídeo abaixo:

E vale lembrar, o saque do FGTS ainda não tem data certa para acontecer e o calendário com as datas vai ser divulgado até o começo de fevereiro. “O Santander quer ajudar o cliente a ter um orçamento saudável e, mais do que isso, a prosperar, caso queira investir os recursos em um novo projeto no momento em que a economia dá os primeiros sinais de retomada”, afirmou o diretor executivo do Santander, José Roberto Machado.

Como Funciona: O empréstimo é parecido com o que já é feito com o 13º Salário e com a Restituição do Imposto de Renda. O trabalhador que tem um valor a receber pode pegar esse dinheiro antecipado pelo banco, em troca, ele, posteriormente paga juros. (PAGAR JUROS NÃO É NADA BOM). Em geral, os juros não são altos (MAS CONTINUAM SENDO JUROS, ENTÃO, É MLEHOR RECEBER JUROS DO QUE PAGAR JUROS) já que o risco de calote é mínimo. Quando o dinheiro do Fundo cai na conta do beneficiado, o banco já estorna para si mesmo. É vapt-vupt!

Antes de prosseguir, entenda um pouco, através desses links, o que é esse FGTS Inativo e qual a tramitação que vem sendo feita, desde o ano passado, para que os saques sejam realizados:

E aí, o que achou da “benfeitoria” do banco? Você está dentro? Acha que vale apena? Bem, não vamos te dar a resposta tão fácil. Vamos fazer alguns questionamentos básicos sobre o dinheiro e você mesmo vai responder se vale a pena ou não, pode ser? Saca só esses tópicos!

1 – Calendário

Já falamos, agorinha mesmo, mas vale a pena repetir: o governo disse que só vai divulgar o cronograma dos saques até o começo de fevereiro e a única informação que temos é a de que o pagamento estará vinculado com a data de aniversário de quem for receber. “É melhor esperar sair as datas e aí, você poderá ver se vale a pena, mesmo porque se demorar a sair, quanto tempo você vai ficar pagando juros”?, indaga Mauro Calil, especialista em investimentos do Banco Ourinvest.

Banco Santander antecipa saque do FGTS Inativo: 5 Motivos para saber se Vale a Pena

Reprodução: Google

Entendeu? Quanto mais o governo te demorar a pagar, mais você vai perder dinheiro pagando juros ao banco. Esse é o primeiro ponto a se observar!

2 – Burocracia

“Historicamente, tirar dinheiro do FGTS, do seguro-desemprego ou da aposentadoria é um processo burocrático. Uma vírgula fora do lugar, um nome errado ou falta de um número pode dificultar a vida do trabalhador”, confirma Calil. E o que você menos quer é problemas, não é? “Se você fizer um empréstimo no banco e não conseguir sacar o FGTS depois, vai ter que se virar para pagar a dívida”.

3 – Taxa de Juros

Já falamos, né? Os juros podem ir até 4,59% ao mês. “4,5% é uma taxa altíssima para um empréstimo com garantia firme, como o saque de FGTS. Não faz sentido cobrar uma taxa tão alta. É preciso ficar atento, mesmo que você tenha outras dívidas mais caras paga pagar”, afirma a professora Myriam Lund, da Fundação Getulio Vargas (FGV).

“Se você pesquisar um pouco, provavelmente vai encontrar taxas melhores na concorrência ou dentro do mesmo banco, com um empréstimo consignado, por exemplo”, lembra Miguel Oliveira, da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

4 – Dívida por Dívida

Trocar dívida por dívida pode não parecer lá muito racional, mas levando em consideração que a taxa de juros do cartão de crédito é de 13% ao mês, você pode pensar que talvez valha a pena. Mas, atenção: “O banco vai estimular você a pegar esse novo empréstimo, mas sem te dar desconto na outra dívida. Não faça isso. Negocie primeiro a dívida atual. Reduza o tamanho dela. Só então avalie se vale a pena tomar uma nova dívida para pagar a antiga”, orienta Miyrian Lund.

Banco Santander antecipa saque do FGTS Inativo: 5 Motivos para saber se Vale a Pena

Reprodução: Google

Cartão de Crédito já tem juros altos e agora ainda terá o preço diferenciado… Entenda essa história! m dezembro passado foi editada uma Medida Provisória que dá liberdade aos comerciantes para cobrar valores diferentes para pagamento em dinheiro e em cartões. O motivo é devido à taxa cobrada nas transações realizadas pelas maquininhas. Na visão do Banco Central, essa medida é estimulante para a economia, já que a mesma aumentaria o consumo (com pagamento à vista, obviamente). Leia Mais!

5 – Dinheiro para quê

“Se a pessoa está precisando muito comprar uma geladeira, por exemplo, ela consegue parcela em até 12 vezes sem juros na maioria das grandes lojas. Não vale a pena pegar empréstimo para isso”, afirma Miguel Oliveira. A compra de bens mais caros, como um automóvel, também pode ser financiada com taxas menores, ele comenta.

Planejamento financeiro definitivo: 7 passos para fazer sobrar dinheiro e investir

Quando vale a pena, então?

“Vale a pena antecipar um valor que você receberá em breve?”, pergunta Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros). “Só pegue esse empréstimo em casos extremos, como emergência de saúde ou quando a pessoa já está pagando taxas de juros muito altas, como no cheque especial ou cartão de crédito”, afirmou em entrevista à UOL.

Para Saber Mais: Em quais Casos é permitido sacar o FGTS, mesmo quando não está inativo?

  • Demissão sem justa causa – importante ter o Termo de Recisão de Contrato de Trabalho homologado pelo Sindicato da Categoria ou pelo Ministério do Trabalho.
  • Culpa Recíproca ou Força maior – É quando o contrato de trabalho termina por fatos imprevisíveis, tais como um incêndio que impeça a continuidade do trabalho. É preciso ter um termo assinado pelo juiz do processo.
  • Extinção da Empresa – Com o fechamento de filiais ou agencias ou mesmo com eliminação de parte de suas atividades. É feito através de uma decisão judicial.
  • Término de Contrato – Em contratos de tempo já determinado.
  • Aposentadoria – Seja por tempo de serviço, invalidez ou por contrato firmado.
  • Suspensão do Trabalho Avulso – É aquele que presta serviço com o intermédio de uma entidade de classe. É preciso uma declaração do sindicato.
  • Falecimento – Os dependentes poderão sacar o FGTS.
  • Doenças Graves – Como a AIDS, Câncer e Doenças Terminais.
  • Contas Inativas – Quando o trabalhador não está atuando por, pelo menos, 3 anos ininterruptos e cujo afastamento tenha ocorrido a partir de 1990.
  • Trabalhador com 70 anos – Documento que promove a idade, é essencial.
  • Desastre Natural – Seja chuvas ou inundações, por exemplo, desde que seja comprovado a situação de emergência ou calamidade pública. No entanto, o valor é limitado.
  • Casa Própria – Para a moradia própria, liquidação ou amortização da dívida.

Com informações da UOL, IG e Valor