3 Passos para Aumentar o Patrimônio Rapidamente

ANÚNCIO

Os bancos já não são, há tempos, os melhores conselheiros para você ter um significativo aumento de patrimônio. Na real, eles são ótimos oportunistas, que ganham dinheiro às suas custas e, justamente, quando você mais precisa – com empréstimos e financiamentos.

Por outro lado, as corretoras de valores tem apresentado papel importante na sociedade quando o assunto em destaque é aumentar a renda, fazer o dinheiro trabalhar, exponenciar os lucros, multiplicar o dinheiro e todas as outras expressões que te levam para o caminho da riqueza.

ANÚNCIO

Neste artigo, vamos falar o que é importante observar na hora de escolher um bom investimento financeiro tendo como foco o aumento de patrimônio rápido.

Portanto, se você chegou até esse artigo, esqueça os bancos. Aqui, estaremos falando, em todas as oportunidades, sobre investir dinheiro em renda fixa e em renda variável, mas conforme as melhores opções do mercado, que só são encontradas em corretoras.

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

ANÚNCIO

Atual Realidade dos Brasileiros

Até a Proteste entrou no meio da conversa – a instituição que protege os consumidores listou algumas dicas e informações sobre a situação do brasileiro no mercado financeiro: ao todo, são 60 milhões de endividados e o mesmo número de pessoas também deixa o dinheiro aplicado na poupança.

Apenas 10 milhões de pessoas investem dinheiro em opções “diferentes”, sendo que os mais listados são títulos da renda fixa e fundos de investimentos – na maior parte, dentro dos bancos.

Porém, conforme a Proteste, na maioria dos casos, a rentabilidade oferecida pela corretora é mais atraente do que a de bancos. A associação comparou títulos conservados e fundos de renda fixa entre os dois – bancos e corretoras.

A resposta é que as corretoras sempre apresentam melhores resultados em termos de rentabilidade e acessibilidade. Na pesquisa, a Proteste cita, por exemplo, o título “Daycoval Classic FI Renda Fixa Crédito Privado”, que é considerado um dos melhores do momento.

No último ano, esse fundo rendeu 14,46% e nos últimos 36 meses foram 47,10% de rendimento para uma aplicação inicial de 5 mil reais.

Lembrando que, por ser uma renda fixa, quanto mais tempo aplicado o dinheiro ficar, melhor será a rentabilidade devido à tabela regressiva do imposto de renda.

Para se ter uma ideia, a associação pesquisou 193 opções de investimentos, das quais as 116 primeiras são de corretoras e o parâmetro usado sempre foi o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que é uma taxa que fica muito próxima à Selic.

Definição Rápida dos Investimentos Financeiros

Realizar um investimento financeiro, independente do seu perfil e do seu porte financeiro é sempre uma tarefa que exige cuidado – avaliar os riscos é fundamental, assim como as potencialidades de rendimento e de valorização.

Cada investimento financeiro tem sua particularidade, mas as regras são gerais.

Riscos das Aplicações Financeiras

Todas as aplicações financeiras têm riscos, só que alguns são tão pequenos que se tornam praticamente desconsideráveis, como o Tesouro Direto – falarmos mais abaixo. Além disso, alguns têm a proteção do FGC, que garante valores de até 250 mil reais.

Valores Inicias para Investir

Não tem que ser alto. Tudo vai depender da natureza do investimento que você escolher. Alguns têm valores mínimos, assim como prazos de vencimento. Mas, a partir de 30 reais é possível iniciar um bom investimento financeiro.

Investir em Imóveis

Foi-se o tempo em que investir em imóveis para alugar era uma boa alternativa. Agora, com mais acessibilidade, facilidade e rentabilidade, existem os fundos imobiliários que são mais vantajosos em todos os sentidos.

E você nem precisa ficar preocupado com o fato de conseguir um inquilino rapidamente.

Apostar na Sorte ou em Investimentos Financeiros

Investimentos Financeiros não é loteria, portanto, você não tem que ter sorte. Só que tem que conhecer o mercado e saber o que está comprando ou vendendo. Existem sim pessoas que tiveram alguma “sorte”, mas são raríssimos esses casos.

A maior parte das pessoas que ficaram ricas e aumentaram de patrimônio no mercado financeiro foi por livre e espontânea vontade de aprender mais sobre ele a cada dia.

3 Passos para Aumentar o Patrimônio Rapidamente
Reprodução: Google

3 Passos para Aumentar o Patrimônio Rapidamente

Claro que falar de dinheiro ainda é um mito e, por isso, gera insegurança. Porém, nossa proposta é te mostrar um campo novo, o mercado financeiro que você, até então, não conhecia. Tire as amarras e venha conosco.

– Obviamente, você não precisará gastar um centavo para ler essa matéria, que tem cunho informativo e nada mais.

1 – Investir Dinheiro na Renda Fixa ou Renda Variável?

O medo de fazer a escolha errada é intrínseco no brasileiro, porém, isso funciona como apresentar um trabalho na faculdade – se você realmente estudou o tema, não terá um problema sequer.

Quando você conhece o mercado financeiro, sabe o que são as taxas cobras, como calcular a rentabilidade, o que são ativos e quais os melhores… Então, você não perde dinheiro ao investir dinheiro – ocorrer o contrário e você ganha dinheiro.

Obviamente, investir dinheiro da forma certa pode te fazer ganhar ainda mais dinheiro.

As possibilidades existem, a sabedoria aumenta as chances do sucesso financeiro e os investimentos, nesse caso, são meros transportadores que farão esse caminho: de você até a sua riqueza final.

O melhor de tudo é que existem inúmeras opções de aplicações financeiras, que são focadas em cada tipo de investidor – quem está começando, por exemplo, deve optar pela renda fixa.

Depois, com alguma experiência já é possível entrar em um mercado mais volátil e mais rentável, que é a renda variável.

A escolha de uma aplicação financeira tem que começar por aqui – renda fixa ou renda variável. São mercados distintos demais para serem tratados da mesma forma: um é conservador e o outro arriscado.

Claro que o ideal mesmo é diversificar os investimentos, mas, como falamos, só depois de você já conhecer algum pouco de como tudo funciona, enquanto isso deixe seu capital aplicado na renda fixa que isso já vai significar um importante aumento de patrimônio.

É viável observar que nem sempre os melhores retornos têm a ver com seu perfil de investidor, assim como nem todo investidor vai gostar de ter rendimentos menores na renda fixa.

Portanto, se você ainda não definiu seu perfil, faça um breve teste, que não leva mais do que 5 minutos, no vídeo abaixo:

2 – Corretora de Valores ou Bancos?

Pela nossa introdução, você já sabe qual deve ser a escolha, não é verdade?

Mas, voltamos ao tema porque essa é uma dúvida muito comum na vida dos brasileiros – o banco traz segurança, por isso, poucos optam pela corretora, ainda que seja o certo a se fazer se o foco for aumentar de patrimônio, obviamente.

Porque se você não se importa com o seu dinheiro e com quanto ele está rendendo, então, tudo bem, deixe-o no banco.

O importante é entender o que será uma boa ideia: ao contrário dos bancos, as corretoras de valores conseguem oferecer uma gama muito maior de modalidades de investimentos, onde pode estar aquele que melhor se adapta ao seu perfil, como visto acima.

É como se todos os produtos financeiros estivessem em um só lugar.

Também há de se considerar, para fazer essa escolha, o foco do negócio financeiro.

Como estamos falando em aumento de patrimônio, então, talvez não tenha necessidade de se ter opções como conta corrente, poupança, empréstimos, financiamentos, planos de capitalização, previdências privadas…

Aumento de Patrimônio tem a ver com Investimentos Financeiros. E a corretora de valores faz esse serviço especializado muito bem.

Considere algumas questões para sair logo do seu banco, no vídeo abaixo:

3 – Taxas e Tributos: O que Considerar?

Os custos de investimentos financeiros existem e precisam ser levados em conta – ponha tudo na ponta do lápis.

Por exemplo, os CBDs (Certificados de Depósitos Bancários) e as LCIs (Letras de Crédito Imobiliárias) são títulos da renda fixos muito parecidos, mas tem uma diferença bastante importante: a isenção do imposto de renda no caso da LCI.

Claro que nem por isso o CDB sempre vai ser melhor – é preciso analisar a rentabilidade final e líquida de cada ativo.

Outra questão que precisa ser abordada é em relação às taxas que podem ser cobradas por bancos ou corretoras de valores – em ações, por exemplo, chama-se taxa de corretagem, que também precisa ser estudado para não corroer a aplicação financeira.

Existem algumas que cobram taxas fixas e outras sobre percentual do valor negociado. Cabe ao investidor ficar atento às particularidades de cada corretora de valores, que, na maior parte dos casos, tem pacotes específicos para os clientes.

Veja um breve resumo do que é importante na hora de escolher uma corretora de valores:

Mas… Por que NÃO a poupança?

Ela ainda tem o maior número de brasileiros. Porém, carrega um dos piores rendimentos entre todas as alternativas de investimentos financeiros. Tem a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), mas existem outras aplicações melhores para quem tem pouco dinheiro para investir – e com o mesmo risco.

Roberto Indech é um analista do mercado financeiro e diz que o Tesouro Direto é uma das melhores opções frente à poupança – principalmente o Tesouro Selic.

“A rentabilidade histórica é muito melhor do que a poupança, rende diariamente e também tem a possibilidade de resgate diário”.

O Tesouro Direto é ainda mais garantido porque vem do Governo Federal.

Quanto ao Desempenho, o Tesouro Selic segue o desempenho da taxa Selic. “É ó título público para competir diretamente com a poupança”, diz Indech, ao falar que mesmo isenta do Imposto de Renda, a poupança rende menos.

Ele também cita o Tesouro IPCA+, que tem ganhos mesclados entre a parcela fixa e a variável que anda de acordo com o IPCA, o que garante ganhos sempre acima da inflação desde que o investidor não resgate o dinheiro antes do prazo de vencimento.

Por fim, ele sugere ainda os Fundos DI e CDBs, que são títulos bancários. “Mas a taxa de administração tem que ser, no máximo, de 0,5% ao ano”, para não corroer o investimento.

“Os ganhos dos CDBs também compensam frente a poupança, existem alternativas que vão até 118% do CDI para prazos mais longos”, finaliza.

Guia Rápido para Ficar Rico

Gastar menos do que se ganha, poupar dinheiro, economizar dinheiro, investir dinheiro…

Tudo isso é importante para alcançar os objetivos financeiros. Se o seu objetivo é viver de juros, saiba que você não precisa ficar torcendo para ganhar na loteria ou participar de um reality show.

Você pode conseguir isso através do seu próprio esforço – com planejamento financeiro e disciplina, o que obviamente está ao seu alcance, não é?

Confira essas dicas para você conseguir viver de juros, viver de renda, viver de investimentos financeiros ou como queira chamar essa Liberdade Financeira.

Reveja o Seu Padrão de Vida

Se as contas não estão batendo e o saldo sempre fica no vermelho. Algo vai mal e você precisa rever isso imediatamente. Repense o seu padrão de vida porque com certeza você está gastando mais do que ganha.

Cortar gastos é o foco, nesse caso. Veja tudo que é supérfluo ou que não é essencial para a vida e corte, elimine, reduza.

“Pode parecer difícil, mas é fundamental observar que não é sustentável viver uma realidade que não é a sua”, diz Reinaldo Domingos, do Dsop Educação.

Analise os Pequenos Gastos

É importante atentar-se aos pequenos gastos que podem parecer ingênuos, mas logo transforma-se em vilões. Quem tem a missão de juntar dinheiro, não pode gastar 600 reais por ano com os famosos cafezinhos nas padarias todos os dias.

Essas pequenas compras, feitas de formas desordenadas, acabam se tornando verdadeiros ralos por onde escoam as economias financeiras.

Domingos diz que, na média, 25% dos gastos mensais são supérfluos ou desnecessários: “As pessoas sempre dizem que não têm mais de onde reduzir gastos, mas, ao fazer uma boa análise, observam que é possível”.

10 vícios que podem acabar com o seu dinheiro

Diagnóstico Financeiro

Para conseguir encontrar os gastos extras, Domingos diz que é preciso fazer um diagnóstico da vida financeira por, no mínimo, 30 dias, anotando tudo que gasta e separando os itens das despesas – na real, a realidade vai ser muito diferente do que se imagina.

“Ressalto que não deve virar escravo dessas anotações, pois, quando vira rotina, perde a eficácia”.

Quite as Dívidas

Para investir dinheiro, você não precisa eliminar todas as dívidas, mas pode encontrar alguma forma de conseguir pagá-la simultaneamente.

A ideia é juntar todos os saldos devedores em uma única conta, onde a parcela caiba no seu bolso, sem que destrua a competência de aplicar o dinheiro mensal.

Observe que uma dívida que tenha 0,3% de juros, no longo prazo, é excepcionalmente mais vantajosa do que uma dívida com 0,5% de juros.

Na hora de renegociar dívidas, barganhe. Fale com os credores, encontre taxas baixas e nunca assine nada que não seja possível de ser pago.

Priorize os seus Sonhos

As pessoas costumam deixar para poupar para o objetivo financeiro quando sobra dinheiro no final do mês, mas isso é errado. Se você está fazendo assim, dificilmente vai conseguir chegar até os seus sonhos.

“Recomendo que, a partir de agora, mude o modelo mental relacionando a forma de fazer um orçamento financeiro. É chegada a hora de priorizar aquilo que realmente importa, os sonhos e as metas pessoas e familiares”, aconselha.

Para resultados diferentes, é preciso atitudes diferentes.

Orçamento Diferenciado

Depois de observar como é o seu orçamento financeiro hoje, é preciso começar a poupar dinheiro imediatamente. Domingos diz que as pessoas fazem uma conta errada, da seguinte forma: ganhos – gastos = lucro ou prejuízo.

“Não adianta esperar que, assim, sobre algum dinheiro ao final do mês para poupar”. Pode parecer ideal, mas o especialista diz que isso só leva à frustação já que a maioria, dessa forma, não consegue realizar os sonhos.

O ideal, para ele é a seguinte fórmula: ganhos – sonhos – gastos.

Assim, não haverá prejuízo e as contas vão bater, já que você estará priorizando os seus objetivos financeiros e ajustando-o ao seu padrão de vida ao valor que sobrar.

Para conseguir seguir essa fórmula, o ideal é retirar a parte que vai poupar mensalmente assim que receber o salário, colocando-a na melhor opção de investimento, conforme o prazo.

Ganhe Mais Dinheiro

Se as contas ainda não estão fechando e mesmo fazendo essa fórmula você não está conseguindo alavancar a vida financeira, uma alternativa que costuma dar certo é ganhar mais dinheiro, aumentando a renda mensal e os lucros do negócio.

Para isso, você não precisa sair do seu trabalho, mas pode pensar em algo alternativo para fazer nas horas vagas. Tente encontrar alguma atividade que sinta prazer e que consiga conciliar com o seu trabalho e a sua vida pessoal – talvez costurar para fora ou fazer marmitas fitness.

Além disso, se você já é um empreendedor, pode tentar encontrar formas de agregar valor ao seu produto, buscando soluções imediatas ou aumentando o número de pedidos recebidos.

Invista no seu Conhecimento

O conhecimento é tudo aquilo que agrega valor ao que você já sabe. Aliás, ele pode até mesmo mudar a sua forma de pensar. Ler este artigo é uma forma de buscar conhecimento – talvez você não sabia, até então, que com 430 mil reais seria possível já começar a viver de renda, não é?

Para escolher o melhor investimento financeiro para o seu perfil – a busca pelo conhecimento tem que ser ainda mais incessante porque existem vários tipos e opções. Onde, não tem certo ou errado e sim aquele que melhor se adapta ao seu objetivo.

E esse conhecimento financeiro é fácil de ser encontrado – livros, workshops, vídeos, e-books, livros, apostilas, textos, artigos, imagens, páginas. Está tudo aí, na mão. Basta ter interesse, disciplina e vontade de aprender.

A melhor maneira de você escolher um produto financeiro é você conhecendo o mercado financeiro.

Por exemplo, quando se tem interesse em buscar ativos que realmente tenham bons rendimentos, ninguém fica investindo na poupança, em previdências privadas ou em títulos de capitalização.

Pense no Curto, Médio e Longo Prazo

É importante que tenha, pelo menos, três sonhos ao mesmo tempo: um de curto prazo (até 2 anos), um de médio prazo (até 5 anos) e um de longo prazo (maior do que 5 anos).

“Veja que é muito mais uma questão de mudança de comportamento do que saber fazer contas ou ter que se privar de algo. Quando temos metas bem definidas em nossas vidas, poupar não se torna um martírio e sim um estilo de vida, que levará a muito mais realizações e conquistas”, afirma Domingos.

Aqui, vale ainda a recomendação de que seus objetivos tem que estar bem delineados, ou seja, tem que ser mensuráveis. Você dizer que quer ficar rico é algo muito amplo, mas dizer que quer viver de juros daqui há 15 anos já é algo bem mais palpável para dar certo.

O objetivo tem que ser aquele que seja firme, breve e que não mude conforme o seu humor: “Hoje quero comprar uma casa”, passa um dia e: “Hoje quero comprar um carro”. Já na semana seguinte: “Eu queria mesmo era viajar para a Inglaterra”. No outro mês: “Quero vive de juros”.

Tenha foco: “No longo prazo, até 2030, quero conseguir acumular um patrimônio de 1 milhão de reais”. Isso é uma meta bem traçada. Aí, a pergunta que fica é: o que você tem feito para chegar ao seu objetivo financeiro?

Para finalizar este tópico, podemos falar também em diversificar investimentos. Oras, se você tem um objetivo a longo prazo, o seu investimento será um. Se tem outro a curto prazo, o investimento pode ser outro.

Mais do que isso, diversificar investimentos é minimizar os riscos – quando um rende menos, o outro rende mais e assim você equilibra sua carteira. Pense também sobre isso.

Conheça os Tipos de Investimentos Financeiros

Os investimentos financeiros são meios que todos nós temos para atingir nossos objetivos. Entendeu? São meios e não o fim.

Eles vão nos levar até onde queremos chegar. Se o foco é a viver de juros, então, eles impulsionam uma quantia para que o rendimento seja suficiente para bancar nossos gastos mensais.

Eles são o transporte e não a chegada, foca nisso.

Daí tem um detalhe importante: como você chega ao seu destino? De trem, de navio, avião, carro, bicicleta, a pé, de helicóptero, de disco voador? Se os investimentos financeiros são o caminho para a viver de juros, os ativos são o meio de transporte.

E existem vários: da renda fixa e da renda variável. Lógico que os mais rápidos são os mais perigosos, portanto, tudo vai girar em torno do retorno-risco e aí, adivinha, para escolher você tem que ser o seu perfil, o seu objetivo, a sua coragem.

Viver de Juros: Quanto eu Preciso

Por fim, você tem que saber quanto precisa para viver de juros. Nós fizemos alguns cálculos MUITO SIMPLES na parte superior deste artigo, mas a ideia era apenas de mostrar como é possível ter um horizonte a seguir.

Com 430 mil reais já dá para ter uma renda de 2 mil reais por mês, por exemplo. E assim por diante, quanto mais dinheiro investido, maior a mensalidade que você tem direito. O importante é buscar formas de fazer essas contas e encontrar o seu valor.

Pode parecer muito juntar dinheiro desse tanto, mas verdadeiramente não é.

Por exemplo, você consegue dispor de 100 reais por mês? Então, se você faz isso por 30 anos em uma aplicação que tenha um rendimento mediano, com certeza, já fica milionário. Se o valor for maior, o tempo pode ser menor.

É assim que funciona. É a mágica dos juros compostos.

Você só tem que aprender a trabalhar com o tempo e saber economizar dinheiro. Seguindo esse guia corretamente você consegue isso muito facilmente. Bora viver de juros?

Com informações do Terra, Infomoney

ANÚNCIO