Breve aula de investimento para iniciantes: conheça 3 aplicações financeiras da renda fixa

Se você procura por uma aula de investimento para iniciantes simples, saiba que encontrou. Se você tem entre R$ 50 ou mais de R$ 30 mil, também. Afinal, aqui vamos resumir alguns breves pontos sobre ativos da renda fixa para vários aportes iniciais.

Por exemplo, se você está começando e quer poupar apenas uma parte do salário, considere que dá para fazer isso. Ao mesmo tempo, se tem uma herança ou muito dinheiro na poupança, pode fazer o dinheiro render mais. Porém, isso em outros ativos.

A nossa ideia é justamente essa: mostrar algumas diferenças entre os vários ativos da renda fixa que existem no mercado. Para quem está curioso, saiba que vamos falar especialmente do Tesouro Selic, do CDB e das Letras de Crédito. Tudo para você deixar de lado a caderneta.

Afinal de contas, com a nova fórmula, ela passou a render apenas 70% da Selic, o que é bem ruim, se a gente considera a inflação mais alta. De todo modo, a gente tem opções que são seguras e mais rentáveis, como essas listadas abaixo. Entenda.

As 3 aplicações financeiras da renda fixa para iniciantes

Desse modo, com base em tudo o que falamos acima, a gente vai dividir o artigo em 3 tópicos. Obviamente, serão 3 aplicações financeiras citadas como foco deles. Para isso, separamos também os valores para quem quer aportar, partindo de R$ 50 e até mais de R$ 30 mil.

1 – Menos de R$ 5 mil

Se você tem menos do que R$ 5 mil para começar a investir, saiba que está tudo bem. Na verdade, a grande maioria das pessoas começam assim. E até mesmo os mais ricos começaram assim. Portanto, não vá pensar que não vale a pena porque realmente vale sim.

Então, nessa aula de investimento para iniciantes, considere que para aportes iniciais abaixo de R$ 5 mil, a gente pode lembrar do Tesouro Selic. Ele é um título do governo, que tem garantia do Tesouro Nacional e é considerado o mais seguro de todos.

Aliás, não à toa é chamado de “nova poupança” justamente por ter algumas características iguais a da poupança e outras vantagens. Por exemplo, permite o resgate rápido, aplicações baixas, diariamente, só que rende mais.

O único problema é que tem a cobrança de impostos. Porém, ainda assim, se torna mais vantajoso que a poupança. Se você tiver o interesse nesse ativo, leia também outra matéria que temos e explica mais das vantagens: “Conheça 5 motivos para investir no Tesouro Selic”.

2 – Entre R$ 5 mil e R$ 30 mil

Continuando nessa aula de investimento para iniciantes, saiba que agora podemos falar dos CDBs. Ou seja, dos Certificados de Depósitos Bancários. Diferente do Tesouro Selic, esse é um ativo bancário. Assim, tem garantia do FGC, que é o Fundo Garantidor de Crédito.

Nesse caso, a regra é que o investidor tenha que ter apenas R$ 250 mil em cada banco para cada CPF. Ou seja, acima disso, o FGC não cobre. De todo modo, até esse valor é altamente seguro ter ativos em CDBs bancários.

Para quem não sabe, enquanto o Tesouro é um empréstimo que fazemos ao governo, o CDB é um empréstimo que fazemos para os bancos. Assim, eles podem usar os valores para gerar crédito no mercado, como em financiamentos, por exemplo.

Uma boa dica é considerar que os bancos menores também possuem CDBs e com melhores rendimentos. Isso porque são menores e querem novos clientes. Mas, a garantia do FGC vale também, por isso, o investidor pode procurar esses ativos neles também.

3 – Acima de R$ 30 mil

Se você recebeu uma herança ou fez alguma venda incrível, saiba que você também pode encontrar boas ideias de investimentos para valores mais altos. Inclusive, nesse texto, a gente está usando o exemplo de R$ 30 mil. Mas, saiba que poderia ser mais do que isso.

De todo modo, para esses casos, a nossa dica, dentro da renda fixa, é pensar em Letras de Crédito. Atualmente, nós temos 2 delas, sendo a LCI (Letra de Crédito Imobiliária) e a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio).

Sendo assim, elas são muito próximas do CDB, só que com algumas diferenças. Por exemplo, os valores são lastreados para as áreas competentes (imóveis e agronegócio). Enquanto isso, geralmente, tem valores de aportes mais altos, partindo dos R$ 10 mil.

Por fim, a grande vantagem está no fato de ser isenta de Imposto de Renda. De todo modo, como o pagamento é feito com base no CDI, quase sempre, então, vale a pena comparar com os ativos de CDB também, só que desconto o IR que eles cobram.

Essa é uma versão atualizada de 2016

aula de investimento para iniciantes

Por curiosidade, saiba que essa é uma versão de um texto de 2016. Ué, como assim? Na verdade, nesse ano de 2016, a gente fez um material que citava “qual o melhor investimento do ano”. Assim, a gente focou em investimentos da renda fixa, como esses citados acima.

Assim sendo, é claro que muita coisa mudou nesse tempo todo. De todo modo, vale a curiosidade para saber que a caderneta da poupança continua não sendo boa opção. Enquanto isso, o Tesouro Selic, o CDB e as Letras de Crédito ainda são interessantes.

Obviamente, esse texto não é uma indicação de ativo para você comprar ou vender. Porém, o nosso foco é mostrar para você, que ainda está dando os primeiros passos nos investimentos, que tem como investir aos poucos e de forma eficiente, sem ter que correr riscos.