As principais diferenças entre os Ricos e os Pobres e os 10 hábitos fundamentais para prosperar na vida

ANÚNCIO

Se você acha que a quantidade de patrimônio acumulado é a única diferença entre as pessoas ricas e as pessoas pobres, você está (completamente) enganado. Aliás, essa discrepância é apenas uma resultante das atitudes tomadas e do comportamento desses dois tipos de indivíduos. Isso comprova, inclusive, por que muitas pessoas perdem todo o dia logo após ficarem ricas quando ganham na loteria.

O Ary Toledo é um humorista brasileiro que fez uma música destacando a semelhança entre o Rico e o Pobre: “Música de rico é concerto, música de pobre é macumba. Nome de rica é Estela, nome de pobre é Raimundo. Rico só leva vantagem, pobre só leva na bunda”. Mas, convenhamos, meus caros, não é disso que estamos falando.

ANÚNCIO

Vamos, por alguns instantes, trocar o Ary pelo Tom. Conhecem o Tom Corley, né? Já narramos a (incrível) história dele aqui no blog. O pai dele perdeu todo o dinheiro que tinha durante o incêndio, assim, ele cresceu acreditando que era preciso diversificar os investimentos, ou então, não colocar todos os ovos em uma única cesta, como se diz.

Veja mais sobre a história de Tom Corley e a Pesquisa Dele. 

Com isso, ele estudou, durante 5 anos, a vida de 177 pessoas comuns e que são milionárias. A pesquisa deu origem ao livro “Change Your Habits, Change Your Life: Strategies that Transformed 177 Average People into Self-Made Millionaries”, na tradução livre, seria algo como “Mude seus hábitos, mude sua vida: Estratégias que transformaram 177 pessoas comuns em milionários”. (Observação: Na Amazon, o livro sai por 56 reais, confira).

Para ele, a prosperidade financeira não depende somente de quanto você ganha ou da estratégia que utiliza para investir dinheiro. Mas, sim, dos hábitos diários. Sobre isso, e com o auxilio do Clube dos Poupadores, fizemos a seleção das maiores diferenças entre os Ricos e os Pobres, baseado nas constatações de Tom Corley.

ANÚNCIO
As principais diferenças entre os Ricos e os Pobres e os 10 hábitos fundamentais para prosperar na vida
Reprodução: Google

Nem vamos usar essa informação com um tópico, mas, como ela é supra importante, vamos mencionar. Nenhuma das pessoas pesquisadas por Tom ganhou dinheiro fácil, nem rápido, como ocorre nas loterias ou nos reality shows. Em quase todos os casos, o sucesso aconteceu lentamente, e exigiu muita iniciativa e esforço. Quer números? 77% das pessoas POBRES fazem apostas esportivas, tais como a loteria; por outro lado, 94% das pessoas ricas nunca perderam tempo e dinheiro investindo nisso.

1 – O Vício da Bebida

Tirando o vício do jogo, que já foi citado acima, Tom também comenta sobre outro, o da bebida alcoólica. Para o autor, existe uma grande diferença entre beber apenas um copo de cerveja de vez em quando e transformar isso em um hábito (nada saudável). 50% das pessoas mais pobres bebiam mais de 2 copos de bebida alcoólica por dia e 84% dos milionários bebiam menos do que isso, ele conta.

Isso sem contar que a bebida pode afetar a memória, ou seja, você desperdiça saúde e dinheiro. Mas, dizendo pelas entrelinhas, existem pessoas que lucram com isso, tal como Jorge Paulo Lemann, considerado o homem mais rico do Brasil.

Leia Também: Jorge Paulo Lemann é um empresário suíço-brasileiro nascido no Rio de Janeiro e formado em Harvard. É comum encontrar ele na lista das pessoas mais ricas. E dessa vez não é diferente. O investidor carioca não só manteve a liderança no ranking nacional com um aumento de 7 posições e US$ 2,7 bilhões de patrimônio. Quer saber quais são os Brasileiros Mais Ricos? E os mais Ricos de cada estado? E as Mulheres Mais Ricas?

2 – O Convívio com Pessoas Tóxicas

Antes de tudo, vale explicar: pessoas tóxicas, segundo o autor, são aquelas que ligam para você para reclamar do cônjuge, do chefe, do trabalho, da saúde, do governo, dos familiares, do passado, do presente e de tudo aquilo que ainda está por vir. 80% das pessoas mais ricas desenvolveram o hábito de estar sem juntas de outras pessoas positivas, e que tinha, como ele mesmo disse “espírito de sucesso”.

As principais diferenças entre os Ricos e os Pobres e os 10 hábitos fundamentais para prosperar na vida
Reprodução: Google

Já do lado dos pobres, aproximadamente 4% possuem amizades com indivíduos positivos, já a grande maioria (96%) cultivam os indivíduos tóxicos. “É melhor ter por perto pessoas melhores do que você. Escolha os relacionamentos cujo comportamento é melhor que o seu, e você migrará naquela direção”, Warren Buffet.

Quer enriquecer? Veja 10 livros, 5 frases e muitas dicas de Warren Buffett!

3 – O Pensamento Negativo

O sucesso de longo prazo só é possível quando você tem uma perspectiva positiva”, afirma o autor da pesquisa. As pessoas, na visão dele, são completamente inconscientes quanto aos seus pensamentos, seja positivos ou negativos. “É preciso ouvir os próprios pensamentos”. As pessoas tem tanto medo de investir fora da poupança, que, mesmo sabendo que lá perderão dinheiro, elas fazem essa escolha.

Um pouco a ver com isso, é sobre a procrastinação, também comentada por Tom. Ele diz que muitas pessoas talentosas não conseguem prosperar na vida por culpa do “empurrar com a barriga”.  Napoleon Hill também é autor e afirma que as pessoas mais ricas são justamente aquelas que tomam mais decisões.

4 – Feedbacks

As pessoas que não conseguem prosperar, normalmente, tem medo de tomar decisões por sofrerem alguma crítica, no entanto, segundo os coachs (especialistas em empresas e funcionários), se você nunca perguntar ao seu chefe como está o seu trabalho, você só vai descobrir depois que for demitido.

Os ricos sabem ouvir críticas, mesmo aquelas que não são tão construtivas quanto deveriam. Essa é a forma mais rápida e barata de aprender com os erros. O feedback te ajuda a identificar se você está no caminho certo. É isso que pessoas ricas fazem. “Seus clientes insatisfeitos são a sua maior fonte de aprendizado”, Bill Gates.

Veja Mais: Já ouviu falar de Bill Gates e Warren Buffett? Saiu a lista das pessoas mais ricas do mundo!

5 – Overspending

Ah, vamos falar o simples: “Gastar mais do que ganha”. Isso, como é óbvio, é o que as pessoas ricas não fazem! Segundo Corley, 95% dos pobres costumam fazer dividas para subsidiar um padrão de vida acima do que a renda permite. É o famoso “Ostentar”, ou seja, é a ação de mostrar ou exibir com alarde, em atos públicos, as suas benfeitorias. Um exemplo: “Ele adora ostentar os seus carrões valiosos”.

https://youtu.be/eJOvC0tON8Q

E, gastando mais do que ganha, você estará construindo pobreza no longo prazo, sem esperança de escapar desse destino, afirma o autor.

6 – Trabalhar com Prazer

Se você faz o que odeia, as suas chances de prosperar são mínimas. Para o pesquisador, trabalhar naquilo que você odeia, isso irá afetar o seu enriquecimento. As pessoas mais bem sucedidas, trabalham em atividades que são (ou se tornam) paixões. É o famoso “Faço o que gosto e ainda sou remunerado por isso”.

Isso melhora o desempenho, mesmo se comparado com pessoas mais tecnicamente preparadas. Já pessoas que não gostam do que fazem, sempre tem uma desculpa para trabalhar menos, ganhar menos e, por isso, prosperam menos.

7 – Seguir a Boiada

Ou, para o autor do livro e da pesquisa, “Hábito do Rebanho”. É fazer coisas da mesma forma que todos fazem. Mas, para Tom, o sucesso profissional e financeiro faz você se diferenciar da multidão. A maioria das pessoas busca essa paz na família e, por isso, não gostam de sair da zona de conforto.

Porém, os ricos não se sentem desconfortáveis diante dos amigos e da família, apesar de também se importarem com as incertezas. Eles gostam de desafios e sabem que existem riscos, mesmo assim, eles os superam. Aliás, como está na pesquisa, prosperar é assumir riscos.

As principais diferenças entre os Ricos e os Pobres e os 10 hábitos fundamentais para prosperar na vida
Reprodução: Google

“A busca pela segurança no rebanho, segundo o autor, é o que faz a minoria das pessoas do mundo atingirem um nível elevado de prosperidade financeira. A grande verdade é que as pessoas preferem uma renda segura, mesmo que baixa, e buscam isso no emprego assalariado e nos direitos trabalhistas fornecidos, justamente, por quem assume mais riscos”.

Ligando o tópico diretamente ao assunto dos investimentos, buscamos uma frase de Robert Arnott, que representa muito bem essa teoria da pesquisa. “Em investimentos, o que é confortável raramente é rentável”.

8 – Expectativas

Na média, os ricos dirigem carros de passeio com alguns anos de uso que não foram comprados novos. Isso é pesquisa e foi feita pelo livro “The Millionaire Next Door” (Na Amazon, o Livro sai por 56 Reais). Ou seja, é raro você encontrar algum ricaço em um carro de 500 mil reais ou morando em uma mansão. Isso porque ele não gasta o dinheiro em passivos, mas sim em ativos, que geram renda.

É a história da loteria: mesmo se você ganhar 1 milhão de reais, e gastar tudo, você voltará a ser pobre. Essa é a realidade: enquanto a classe média e pobre vive acima das possibilidades (ostentando), os ricos vivem abaixo (sempre buscando mais). “Muitas pessoas gastam o dinheiro que não tem, para comprar coisas que eles não precisam, para impressionar as pessoas que eles não gostam”, Will Rogers.

9 – Lógica

O pobre age de forma emocional e o rico age com a lógica. Durante 30 anos, Steve Siebold entrevistou mais de 1,2 mil pessoas ricas e descobriu que uma das diferenças delas para as menos favorecidas financeiramente foi o fato de os pobres “verem através dos olhos da emoção”.

Brasil insere 208 mil pessoas entre os 10% mais ricos do planeta

É o mesmo conceito usado por Warren Buffett, que diz que o investimento tem mais a ver com o controle das emoções do que com fazer dinheiro, de fato. As emoções são o que levam as pessoas a comprarem ações na alta e venderem na baixa, exatamente o contrário do que deveriam fazer, ele comenta.

10 – Conhecimento

Tanto Tom Corley quanto Steve Siebold falam sobre o conhecimento, que para as pessoas comuns é hábito. Ah, e não estamos falando sobre televisão, ok? É o mercado e o mundo, independente de qual meio você usa para isso. Aliás, livros é o que não faltam nos costumes desses milionários senhores. Por isso, se você ainda está do lado pobre, invista na educação e busque conhecimento.

As principais diferenças entre os Ricos e os Pobres e os 10 hábitos fundamentais para prosperar na vida
Reprodução: Google

E você pode começar já, com o CURSO RISCO ZERO de investimento. Ou, com a leitura do Guia Completo sobre com Investir na Renda Fixa.

Como são, resumidamente, Ricos e Pobres

Depois de detalhar os 10 principais hábitos para prosperar na vida financeira, vamos agora, falar, bem resumidamente sobre as principais diferentes entre os ricos e os pobres, conforme matéria publicada na FranquiaEmpresa. Acompanhe os tópicos!

  1. Pobres são Céticos, Ricos são Confiantes
  2. Pobres Buscam Desculpas, Ricos Buscam Sucesso
  3. Pobres fazem Suposições, Ricos não Respondem ao Fracasso
  4. Pobres não tomam Responsabilidades, Ricos dizem: Nós
  5. Pobres Preferem o Dinheiro ao Tempo, Ricos acham o tempo mais Importante
  6. Pobres fazem Competição, Ricos Criam
  7. Pobres se Queixam, Ricos são Gratos
  8. Pobres buscam conselhos, Ricos se Inspiram
  9. Pobres compra Televisão Grande, Ricos acumulam Livros

As principais diferenças para Keith Cameron Smith, autora do livro “As 10 Principais Diferenças Entre os Milionários e a Classe Média”

Claro que não vamos citar todas as diferenças aqui, afinal, se assim fizermos você não vai querer ler o livro, então, vamos destacar apenas 2 pontos que consideramos muito importante e que, com certeza, vão agregar valor à esse nosso texto. Confira!

  1. Mudança – A palavra mudança refere-se, aqui, ao contexto de mudar de perspectiva. Ainda que não tenha uma formação acadêmica, um sujeito pode ter uma mentalidade mais prospera e investir em uma área totalmente diferente daquilo que já conhece. Por exemplo, existem histórias de médicos que investem em café. Para a Classe média, a mudança é vista com temor.
  2. Trabalho – Mesmo quem ganha um salário alto, não é, necessariamente, uma pessoa rica. Isso porque ela cumpre sua jornada pelo seu tempo. Quando pensamentos em Tempo e Dinheiro, haverá será um teto máximo para o ganho, e na maioria das profissões, a remuneração é por hora de serviço prestado. Existem 3 oportunidades para você ganhar dinheiro sem precisar trabalhar por hora: negócios que não precisam da presença do dono, ações e criações que pagam por royalt.

Com informações do Guia dos Poupadores, Guia Invest e Franquia Empresa

ANÚNCIO