As Principais Armadilhas do Cartão de Crédito: Vale a pena ou não Parcelar as Compras?

ANÚNCIO

A opinião já está formada e está na boca das pessoas: “A principal vantagem do Cartão de Crédito é que ele permite o parcelamento das compras em praticamente todos os estabelecimentos comerciais, sendo possível, inclusive, parcelar as compras em até 12 vezes sem juros ou em 24 vezes, acrescidas de juros mensais”.

Mas vale a pena comprar tudo parcelado no Cartão de Crédito?

ANÚNCIO

É preciso tomar muito cuidado com essa afirmação! Para os especialistas e economistas, o conselho é não usar o Cartão de Crédito indiscriminadamente.

E os psicólogos explicam por que isso acontece: um tênis que vale 1 mil reais, vai continuar valendo 1 mil reais se for parcelado em 10 vezes sem juros de 100 reais. Porém, conforme eles, essa perspectivas de pagar apenas 100 reais por mês nos faz pensar que o valor é mais compensatório. O que, de fato, não é.

O que acontece, normalmente, é que essas compras, com o tempo, vão se acumulando. E o consumidor passa a ter uma dívida de longo prazo. E tudo isso gira em torno de uma única questão que precisa ser pensada antes da compra: “Esse produto está dentro do seu orçamento financeiro”?

ANÚNCIO

Basta responder essa pergunta para saber se vale a pena ou não parcelar o produto no Cartão de Crédito. Sobre isso, é preciso lembrar também que durante 10 meses, seu orçamento terá que ter uma disponibilidade desses 100 reais, o que se tornará, no período, uma conta fixa, e que, por sua vez, será somada à outras como conta de luz, água, telefone, entre outros.

Esse é o principalmente questionamento sobre o parcelamento no cartão de crédito. Agora, estamos falando do parcelamento sem juros. Se for com juros, aí não vai compensar. Oras, se o produto custa 1 mil reais e você pagar em 10 vezes de 110 reais, então, no final das contas você pagou 100 reais a mais do que realmente o produto vale. Logo, não vale a pena.

O conselho que fica é que, conforme analises, os consumidores brasileiros ainda não conseguiram criar o hábito de estabelecer um gasto máximo mensal para o cartão de crédito e usam ele como se fosse uma extensão do salário. Então, o resultado é que com os juros e o acúmulo de contas, a fatura fique bem alta e prejudique muito o planejamento financeiro.

Verdades sobre o Cartão de Crédito:

  • Cartão de Crédito não é brinquedo,
  • Cartão de Crédito não deveria ser símbolo de Status,
  • Cartão de Crédito não deveria ser uma extensão do seu salário,
  • Cartão de Crédito não deveria propiciar momentos de felicidades ou frustações,
  • Cartão de Crédito são oferecidos pelos bancos, que não querem o seu bem,
  • Cartão de Crédito te faz perder dinheiro com taxas para administradoras.

Entenda por que quando você utiliza o Cartão de Crédito você paga mais caro

Já falamos um pouco disso no artigo anterior, mas vamos reforçar!

Imagine que você vá comprar um produto de 1 mil reais… Bem, se você for pagar à vista, com certeza, o vendedor vai te dar um descontinho, não é? Isso acontece porque quando a compra é divida no cartão de crédito, o estabelecimento comercial precisa repassar uma parte do valor para as administradoras.

As Principais Armadilhas do Cartão de Crédito: Vale a pena ou não Parcelar as Compras?
Reprodução: Google

Esse valor é muito variável, mas pode chegar à 5% de taxa. Então, esses 5% de taxa para o estabelecimento pode ser transformado em 5% de desconto para você, fica elas por elas, entende? No fundo, bem lá no fundo, o comerciante não está te dando desconto, mas está deixando de pagar a administradora. Mas isso acaba sendo mais vantajoso para você do que para ele. Concorda? Isso não é bem assim, vamos explicar abaixo.

A conclusão é óbvia: o uso de cartões, de débito ou de crédito, encarecem os produtos vendidos no comércio.

Por que o Comerciante prefere que o pagamento seja à vista?

Porque ele leva muitas vantagens, principalmente, quanto ao custo. Separamos os 3 principais, veja:

1 – Custo das Administradoras: Sobre esse custo já falamos acima e é uma taxa que pode chegar à 5% em cima de cada transação. No débito, a taxa é menor, de 1,5%. Dadas às devidas proporções, se você deixasse de usar o Cartão de Crédito e passasse a pagar tudo com dinheiro, poderia economizar 600 reais por ano, levando em conta uma fatura de 1 mil reais do cartão de crédito. Isso apenas com os custos embutidos pelos comerciantes com as taxas pelos pagamentos com cartões.

Adeus Bancos? Descubra por que as Fintechs estão revolucionando o setor financeiro global

2 – Custo do Aluguel dos Aparelhos: As POS (Point of Sale) como são chamadas aquelas maquininhas que passam o cartão tem um custo mensal de aluguel que é cobrado ao comerciante, que passa ao consumidor.

3 – Custo para o efetivo pagamento: O dono do comércio demora cerca de 33 dias para receber o dinheiro que o consumidor pagou utilizando o Cartão de Crédito. Acredite ou não, mas esses dias a mais pode representar um custo muito grande para o comerciante. O dinheiro parado (nem recebido) não rende nada e perde valor devido à inflação. E se pudermos comparar, nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, esse prazo é de 2 dias. Que diferença, não?

Por que você deveria preferir o pagamento à vista em Dinheiro?

Quem emite os cartões de crédito são os bancos, que lucram quando cobram taxas administrativas em forma de anuidade ou mensalidade. E isso acontece de uma forma muito… muito… Diríamos, muito elitista. Eles criam vários cartões que recebem nomes de joias (gold, diamante, esmeralda) ou nomes de estrangeiros (Premium, International, Infinit) e “distribui” conforme a renda de cada cliente.

Logo, se você tem um Cartão Mega Blaster Hiper Ultra Gold Infinit Eternity, então, você tem fama, tem status. Mas isso é já um problema do brasileiro, que gosta de ostentar, não é? Tem gente que paga 200 reais de mensalidade de um cartão desses só para mostrar que tem. É uma coisa inexplicável, para falar a verdade.

As Principais Armadilhas do Cartão de Crédito: Vale a pena ou não Parcelar as Compras?
Reprodução: Google

Bom, mas enfim, se um lojista te dizer que o preço do produto à vista no dinheiro é o mesmo do que no cartão de crédito, saiba conversar e pechinche, temos certeza que ele te dará algum desconto e, por menor que seja, vale a pena.

Na verdade, pessoal, tudo é uma via de mão dupla. Se por um lado você está ganhando um pequeno desconto de apenas 5%, de outro, você está deixando de pagar um abusivo juros de 290% por ano do seu rotativo.

O que é Cláusula Mandato

É importante falar disso porque, pela falta de conhecimento, pode te prejudicar um dia. Essa cláusula, quando emitida pelos bancos, é assinada quando você solicita o seu cartão de crédito. E ela quer dizer que você está dando poderes à administradora do seu cartão de crédito para realizar vários negócios por você, sem que você precise ser avisado sobre tal ação.

Ela passa a ser a sua procuradora.

Para que serve isso?

Quando você fica devendo à administradora, ela vai lá e faz um empréstimo em seu nome. Daí, você fica devendo à terceiros, normalmente, bancos e não mais à administradora do cartão. Essa é uma ação muito estranho que já aconteceu muito no mercado financeiro e que, ainda bem, não está mais acontecendo, mas a notícia vale a pena porque vai que… De qualquer forma, tome sempre muito cuidado com a cláusula mandato.

Guia Completo sobre as Novas Regras do Cartão de Crédito: Quando Usar e Como Economizar Dinheiro!

Confira agora as principais armadilhas do Cartão de Crédito

1 – Andar com Cartão de Crédito: Se você acha que andar com dinheiro é perigoso, saiba que com o Cartão de Crédito também. Além dos bandidos poderem usar todo o limite que tem nele, até você conseguir bloqueá-lo, eles também podem clonar e aí o problema se torna bem maior.

2 – Limite do Cartão de Crédito: De fato os bancos não querem ferrar a sua vida, mas parece. Porque eles sempre dão um bom limite para você gastar, o que pode te prejudicar no futuro. O ideal, aliás, ideal não, mas o máximo que você pode gastar é de 30% do seu salário. Se a sua fatura vem com um valor maior que isso, melhor você esconder o cartão em bom lugar que não vá achar por um bom período…

3 – Pagamento do Mínimo da Fatura: Não pague o mínimo e deixe que o cartão fique bloqueado. Pagar o valor mínimo é entrar no rotativo, onde o buraco é infinito e os juros, altíssimos. Aliás, com a nova regra, o valor será parcelado, o que é um pouco menos pior.

4 – Débito é Melhor do que Crédito: Porque você só vai gastar aquilo que tem. E nada mais. O mesmo não acontece no crédito, que parece não ter limite.

5 – Vários Cartões: Para quê? Você pode concentrar todas as despesas em um único cartão de crédito, mesmo se tiver a intenção de acumular pontos. Aliás, entre tantos, prefira os cartões que tenham limites baixos, porque, se ele for clonado, os prejuízos serão menores.

Tem Cartão de Crédito? Saiba o que fazer quando algo der errado

Em Transações não Autorizadas, tente passar novamente, se não der certo entre com contato com o emissor do cartão, mas o ideal é que não se faça isso usando o próprio celular, já que o seu cartão pode ter sido fraudado. Se você não tiver outra forma de pagamento, busque meios de processar a administradora, dependendo de qual for a recusa.

Quando pagar duas vezes a mesma fatura do cartão de crédito, saiba que o valor será ressarcido, porém, normalmente, ele ficará disponível como crédito para a próxima fatura. Agora, caso você prefira, vá até o banco ou entre em contato com a administradora e peça que o valor pago indevidamente seja transferido para alguma conta de sua titularidade.

Quando o seu cartão de crédito for perder o prazo de validade, é comum que chegue ao seu endereço um novo cartão, em uma troca automática. Essa troca é gratuita e nunca pode ser cobrada. A nova validade vai depender da administradora, mas normalmente é de 5 anos. Por sinal, caso ainda não tenha recebido seu novo cartão, entre em contato com a central de atendimento e peça uma nova via atualizada com caráter de urgência.

Nubank é o queridinho dos brasileiros

A fila hoje em dia é de 450 mil pessoas. E isso porque ele é apenas um Cartão de Crédito que tem menos de 3 anos de operação, que foi criado pelo colombiano David Vélez. “A gente não investe em marketing. É tudo no boca a boca”, conta o cofundador.

O usuário médio tem na faixa dos 31 anos e o cartão é aprovado pelos usuários porque não cobra tarifas. Todo o processo é conduzido por um Smartphone e só exige que o App seja baixado. “O cliente faz tudo pelo aplicativo: bloquear o cartão, aumentar ou diminuir o limite em tempo real, uso de gráficos e até cálculos do IOF pagos em comprar internacionais”.

LEIA TAMBÉM: NOVAS REGRAS PASSAM A VALER PARA O CARTÃO DE CRÉDITO, ENTENDA COMO ELAS FUNCIONAM!

“Os grandes bancos têm estruturas operacionais muito caras. Só a Avenida Faria Lima, em São Paulo, tem 92 agências, imagina o custo disso. No fim das contas, quem paga são os clientes. A gente é 100% digital. Não tem agência bancária, não tem caixa eletrônico, não tem um monte de papéis. É uma estrutura de custo muito mais baixa”.

A ideia surgiu no final de 2012, quando do empresário ainda trabalhava em uma empresa do Vale do Silício e resolve investir do outro lado da mesa. “O Brasil tem um dos maiores mercados do mundo, onde o oligopólio dono dos bancos tem também uma das maiores rentabilidades. Ao mesmo tempo, o consumidor recebe um dos piores serviços”.

Sobre Oligopólio e Bancos, leiam essas notícias: Em ranking de 10 empresas que mais valorizaram em 2016, 5 são bancos! e Empresas de Capital Aberto somam lucro de R$ 25 bilhões e entre as 6 primeiras, 4 são bancos!

Com informações do Cartãoacredito e ClubedosPoupadores

 

ANÚNCIO