Saiba como Construir uma Aposentadoria Milionária em 4 Passos

O juro simples é linear e o juro composto é exponencial. De um lado, o juro simples sempre vai incidir sobre o valor inicialmente aplicado enquanto que o composto vai incidir sobre o valor aplicado somado ao montante que já foi acumulado com o juro. Logo, os juros compostos trabalham com a lógica de juros sobre juros.

Esse é o 1º ponto que precisa ser analisado se você tiver pensando na sua aposentadoria. Considere um investimento inicial de 20 mil reais, com uma taxa anual de 15% durante 20 anos e sem considerar as taxas dos impostos. Se fosse juro simples, o total da aplicação seria de 80 mil reais, já no composto somaria mais de 320 mil reais. Ou seja, 4 vezes mais.

O que podemos concluir, já no início do texto, é que temos que trabalhar sempre visando essa questão dos juros compostos. Aí, entram outras questões que são importantes para que ele se concretize de forma efetiva: O tempo de investimento, o valor do investimento, os motivos do investimento, entre outros. É sobre cada um desses tópicos que vamos falar agora!

Por que pensar na aposentadoria é importante

Quando o assunto é a aposentadoria, os brasileiros podem se dividir em muitos grupos:

1 – Têm aqueles que trabalham com Carteira de Trabalho e acham que estão seguros com o INSS, só que aí, logo, lembram-se das grandes mudanças que estão acontecendo no atual governo, o que deixa um mundo inteiro de incertezas.

2 – Tem os trabalhadores informais que recolhem o Imposto do Governo e estão praticamente na mesma situação: vendo o atual cenário e se assustando com o futuro.

3 – Tem aqueles um pouco mais informais, que não recolhem o imposto e tentam fazer o que dá para poupar dinheiro e jogar na poupança, com medo do futuro e com as incertezas se no mês que vem terão trabalho.

4 – Tem aqueles que estão prestes à se aposentar, tem os já aposentados que ainda continuam trabalhando, tem o que não fazem ideia de quanto vão se aposentar e aqueles que estão contando os minutos.

Enfim, as situações são as mais diversas. E, para todos, pensar na aposentadoria é algo que dá frio na barriga. Sim, até para aqueles que estão em parceria com o INSS, aliás, vai dizer que você nunca viu algum caso de alguma pessoa que pagou o teto do INSS durante toda a vida e na hora de se aposentar conseguir somar apenas 3 salários mínimos? São muitos casos como esses…

3 perguntas que podem resolver os seus problemas com o dinheiro e com a aposentadoria

Sinceramente, com os rombos nas contas públicas, a previdência pública está fadada ao fracasso. Então, você tem que deixar de lado o fato do governo ser o grande “financiador” da sua aposentadoria e começar a andar por conta própria. Isso é possível, cara. É muito possível e quer saber? É mais compensador! É sobre isso que vamos falar nesse artigo: Saiba como Construir uma Aposentadoria Milionária!

Como Construir uma Aposentadoria Milionária!

Qualquer extremo vai te fazer mal e te prejudicar na hora de construir uma aposentadoria milionária. Se você é daqueles que não poupa nada, e não está nem aí para o futuro, você corre grande risco de ficar dependendo do governo e de outras pessoas no seu futuro e lembre-se que o seu futuro, como é natural do homem, pode te reservar muito além dos cabelos brancos, assim como as dores nas costas, entre outros.

Outro extremo é o de poupar muito dinheiro e não viver o hoje. É claro que não adianta você guardar 95% do salário para aposentadoria e passar fome, ficar doente, não investir na educação. Você precisa estar vivo, estar bem, estar completo para aproveitar a sua aposentadoria milionária.

Revelado o Segredo para ter uma Aposentadoria Protegida

“Tem que fazer uma poupança de longo, uma de médio e uma de curto prazo. Assim, para o de curto prazo, o ideal é guardar dinheiro para as férias de julho e para trocar de celular, por exemplo. Para a de médio prazo, você guarda dinheiro para trocar de carro ou fazer intercâmbio no exterior. E a de longo prazo, você usa para fazer uma previdência”, afirma Augusto Sabóia.

“O ideal é que toda projeção seja conservadora, para estes casos. De forma que deve-se estimar rentabilidades mais baixas e deixar-se de ser surpreendido por rentabilidades mais altas, caso aconteça. Este conservadorismo também é protetor da inflação que pode ser mais alta do que o estimado”, diz Ronaldo Bella, da Allux Investimentos.

1 – Comece Cedo

Qualquer pessoa no mundo poderá ficar rica e tudo vai depender do tempo e do tanto que ela se dedica a poupar e investir dinheiro. Fala sério cara, se alguém tivesse te dito o  seguinte: “Poupe 50 reais por mês para ter 1 milhão de reais no futuro” quando você tinha 18 anos, você não teria pensando 2 vezes antes de NÃO fazer isso?

Olha só, se você tem 18 anos e já começou a trabalhar, provavelmente tem grandes chances de guardar 50 reais por mês. E se você investir essa PEQUENA quantia mensalmente, quando chegar aos 50 anos, você vai ter uma aposentadoria milionária, não há dúvidas.

Olha, nós, como bons conselheiros que somos, NUNCA incentivamos vocês a investir na poupança. Mas, precisamos fazer uma simulação para que vocês entendam isso. QUALQUER investimento atual, se pensando no longo prazo, é melhor do que a poupança. Então, vamos pegar a rentabilidade da poupança, que a mais baixa de todas, que é de 0,5% ao mês.

  • Aposentando com 100 Mil Reais – Então, vamos lá: Imaginemos um investimento de 50 reais mensais à uma taxa de 0,5% ao mês… Em 20 anos, termos mais de 23 mil reais. Em 40 anos, quase 100 mil reais. E aí, acha que está bom chegar na aposentaria e ter 100 mil reais lá?
  • Aposentando com ½ milhão de reais – Mas isso é muito pouco! Vamos pegar um investimento que renda o dobro, 1% ao mês. E isso é muito fácil de ser encontrado no mercado ein… Quase todos os investimentos em Renda Fixa rendem isso ou mais. Mas vamos lá… Em 20 anos, você terá quase 50 mil reais. Em 40 anos, terá quase 600 mil reais. Chegou na aposentadoria com ½ milhão de reais.
  • Aposentando com 1 milhão de reais – Aí ficou fácil né? Se você investir o dobro do valor ou encontrar um investimento que renda o dobro de 1%, então, a aposentadoria milionária é certa!

2 – Consuma com Qualidade

É aquilo que falamos acima… Não adianta poupar muito se for para ficar sem nada hoje. Já mostramos também que poupar apenas 50 ou 100 reais por mês já te garante uma boa aposentadoria no futuro. O que é preciso, então, é apenas ter um bom planejamento financeiro, que envolve consumir com qualidade.

Tudo é uma questão de prioridades. O planejamento vai envolver desde a escolha em usar ou não o cartão de crédito até a escolha de qualquer produto comprar no supermercado. Vai depender da forma com que você lida com o status profissional e com a ostentação perante os amigos. Consumo com qualidade é consumir o que é necessário. Todos produtos tem um custo-benefício que pode e deve ser calculado.

Se você ganha 2 mil reais, não pode querer ter e manter um carro que vale 50 mil reais. Isso é loucura. E nisso que o planejamento financeiro atua: na realidade. Você pode ganhar apenas um salário mínimo e ter uma renda milionária na aposentadoria. Você pode.

“Depende do momento de vida de cada um, mas, em geral, o número ideal para que cada pessoa economize é de até 30% do salário”, diz Samy Dana, professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e especialista em finanças.

Preocupado com o INSS? Conheça 3 opções de investimentos que oferecem renda de mais de R$ 1 milhão na aposentadoria

3 – Poupar é tão importante quanto investir dinheiro

Sempre que um dinheiro cai na sua conta, você tem que separar uma parte para investir. Se você recebe um salário fixo, então, é mais fácil. Se não, precisa criar uma previsão, pelo menos. E, para tanto, não caia na besteira de fazer a o débito automático, o ideal é que você transfira conforme seu rendimento.

O grande segredo para chegar à uma aposentadoria confortável e, verdadeiramente, segura é saber poupar e quanto mais poupar, melhor será. Mas, poupar para deixar o direito parado, embaixo do colchão ou na poupança, não é um bom negócio porque você vai perder dinheiro. Esses rendimentos perdem para a inflação.

Se você não sabe o que é inflação, é o seguinte, temos um exemplo bem rapidinho:

Uma geladeira está a venda por 1 mil reais. Então, você tem apenas 900 reais. E aí, decide esperar. Deixa o dinheiro guardado em casa (ou na poupança) por 1 ano. Depois, você nota que conseguiu juntar até chegar no valor total de 1 mil reais. Agora, você vai à mesma loja e procura pela mesma geladeira. Adivinha… Ela está custando 1,1 mil reais.

Poxa, você fica triste. E volta para casa. Guarda o dinheiro novamente lá. Depois de mais 1 ano, você junta os 1,1 mil reais. Mas, quando volta, descobre que preço subiu de novo, foi para 1,2 mil reais.

É um ciclo eterno! A inflação aumenta anualmente, logo, tudo aumenta também. Os preços, principalmente. É por isso que é tão importante você ter um rendimento que fique acima da inflação, como NÃO é o caso da poupança. É por isso que insistimos em dizer que lá, investindo na poupança, você está perdendo dinheiro.

Com foco na aposentadoria, o conceito é o mesmo. Se esse é o seu principal investimento, você está descapitalizando com o tempo. Ao final do ciclo, quando você poderia ter uma aposentadoria de ½ milhão, terá apenas 100 mil reais, como mostramos no exemplo acima, no tópico 1.

4 – Aposte em Ativos Financeiros

Deve ficar claro que não é possível confiar no sistema previdenciário como garantia para uma aposentadoria segura porque o resultado pode ser a frustração. Atualmente, conforme analises informais, a previdência já apresenta perdas de 40% em média quando o assunto é aposentadoria.

Para se ter uma ideia, um trabalhador de 51 anos de idade, com salário de 1 mil reais e 30 anos de contribuição, terá uma redução de quase 50% no benefício. Também é sabível que, conforme pesquisas, apenas 1% dos aposentados no Brasil conseguem se manter com a renda que ganham, sendo que outros 99% precisam se adaptar à uma nova realidade.

Aí, o ideal é apostar em ativos financeiros, tais como os investimentos financeiros, as rendas fixas, os títulos públicos, entre outros. Já os bens de consumos são considerados patrimônios passivos, logo, possuem gastos com manutenção, combustível, impostos e seguro, o que geram despesas.

Investir em Imóveis vale a pena? Veja a resposta no vídeo:

“Para clientes do varejo, as taxas cobradas não justificam os ganhos fiscais”, diz o professor, que fala também que uma boa alternativa é investir no Tesouro Direto ou em Letras de Crédito que não possuem Imposto de Renda.

Como acelerar todo o processo e aposentar antes dos 60 anos?

Fenando Meibak é consultor e comenta sobre algumas formas para aposentar mais cedo do que é comum. “Se quiser se aposentar mais cedo, abaixe o seu padrão de vida agora, poupe mais e saiba viver com menos”. É uma dica óbvia, mas fundamental, comenta o especialista. Para ele, para manter o desejo é preciso fazer algum esforço e ter um investimento maior, conforme o tempo, pode te fazer viver de renda mais rapidamente.

Assim, quanto mais cedo o investir quiser parar de trabalhar, mais tempo de vida ele terá pela frente, mas para tal, precisa acumular patrimônio.

Depois, ele comenta que para essa meta, é preciso optar por investimentos financeiros conservadores, principalmente os Tesouros Diretos, como a LTF (Letras Financeiras do Tesouro) e a NTN-B (Notas do Tesouro Nacional Série B). “Para esse investimento, não faz muito sentido arriscar na renda variável e, por isso, eu recomendo a renda fixa, como os títulos do Tesouro”.

Por fim, ele ressalta que o mais importante de tudo é ter um bom planejamento e investir dinheiro da forma correta durante toda a vida. “Grosso modo, o investidor deve poupar a mesma quantidade de tempo que quer viver sem trabalhar depois”.

Tesouro Direto: O que é?

Um recorde! Um recorde de 2,47 bilhões de reais em Janeiro! Esse foi o maior valor da série histórica do Tesouro Direto, que ultrapassou a última melhor marca, de maio de 2015. No primeiro mês desse ano, foram realizadas mais de 221 mil operações de investimento, também o maior número registrado. Aliás, se o assunto é recorde, o número de investidores também é destaque, com 21.632 ativos a mais, o que totaliza 423.431 investidores.

Nesse mesmo mês, o resgate totalizou 2,21 bilhões de reais, sendo 1,49 bilhão relativo aos vencimentos de títulos e outros 720 milhões às recompras.

Os mais procurados foram o Tesouro IPCA+ e o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais, cuja participações significaram metade dos títulos. Já os indexados à taxa Selic correspondeu à ¼ do total, ficando à frente dos prefixados com uma média de 24% também.

COMO INVESTIR NO TESOURO DIRETO MÊS A MÊS

O Valor Médio depositado no Tesouro Direto foi de 11,1 mil reais no período, sendo a maior parte relativa à aplicações de até 5 mil reais, o que reforça a utilização do Tesouro pelos pequenos Investidores.

A maioria sabe, mas não todos: que o Tesouro Direto é umas das melhores formas de se resguardar para a aposentadoria. Muito melhor do que a poupança (Esqueça a poupança e aprenda a investir seu dinheiro no Tesouro Selic) e a previdência privada, por exemplo, já que ele oferece retorno maior e segurança tão comprovada quanto. Continue Lendo…

Os 3 Melhores Investimentos para a Aposentadoria conforme a Atlas Invest

Conforme publicado no Infomoney, a especialista Carollyne Mariano, da Atlas, divulgou as melhores aposentadorias pensando no longo prazo, na aposentadoria. Confira:

  1. Ações: “Escolhendo boas empresas, com boa governança, que paguem bons dividendos, para o longo prazo é um investimento que faz todo sentido”.
  2. Tesouro IPCA+: “Sem dúvida é uma excelente opção para quem pensa no longo prazo, principalmente o Tesouro IPCA+ 2035. Garantir um juro real acima de 5,5% até o vencimento me agrada muito”.
  3. Debêntures Incentivadas: “O racional de investimento é o mesmo de ações, sabendo escolher empresas sólidas, geradoras de caixa e bem geridas, essa opção também faz sentido, pois garante um ganho real acima da inflação e ainda isento de Imposto de Renda”.

Se você quer conhecer cada uma das várias opções de Renda Fixas existentes no mercado e fazer uma comparação entre elas, refletindo sobre as rentabilidades e os prazos de investimento, você pode baixar GRATUITAMENTE o nosso e-book:

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

3 Regras de Ouro para Viver de Juros para o Resto da Vida

Sabe aquela historinha que muita gente fala sobre fazer o dinheiro trabalhar para você. Então, ela realmente existe e funciona de uma forma muito simples. Mais simples, inclusive, do que você pode imaginar. A forma certa de fazer isso é investir dinheiro em aplicações financeiras que rendam juros e gerem um valor extra para o seu orçamento financeiro, o que permite, por sua vez, realizar os seus planos e acumular o patrimônio.

Esse é o conceito básico de Viver de Renda ou Viver de Juros, como queiram chamar!

Vamos falar de um jeito bem genérico aqui, sem levar em conta os valores exatos, mas tudo para que você tenha uma ideal global dessa fórmula mágica que é viver de juros. Vamos supor que você queira ter uma renda extra de 1 mil reais por mês. Logo, se pensarmos anualmente, você tem que ter 12 mil reais. Então, você, teoricamente, precisaria ter um investimento de 100 mil reais e que rendesse 12% ao ano para conseguir essa renda.

É simples demais, não é?

Ah, você com certeza está pensando: “Mas como vou conseguir 100 mil reais”? E aí que está a grande fórmula mágica, que são os juros compostos. Mas, aliás, você pode conseguir esse dinheiro com uma herança ou se ganhar na loteria, sabia? Mas, vamos ser honestos, o ideal é que você consiga com o seu próprio esforço.

3 Regras de Ouro para Viver de Juros para o Resto da Vida

Quando a renda é muito baixa, aposentados precisam continuar trabalhando

Ainda que a afirmação acima não seja ideal, ela resume um fato: o número de pessoas que trabalham mesmo depois de aposentados sob de forma constante. Os motivos são vários, mas o principal é porque a renda da aposentadoria não supre as necessidades dessas pessoas, que muitas vezes, são obrigadas à se adaptar à um novo (e mais baixo) padrão de vida.

E, então, para continuar no trabalho e pagar as contas ao mesmo tempo, o que será que o aposentado precisa saber, como seguir a lei, como conciliar a aposentadoria com o salário? Fizemos uma lista com as principais dúvidas, confira!

Aposentado pode continuar trabalhando com Carteira Assinada? Sim, e não precisa haver qualquer mudança no vínculo empregatício, nem limitação para o trabalho do aposentado, seja de tempo integral ou parcial.

Aposentado tem direito ao auxílio doença? Não. O trabalhador perde esse direito do benefício do INSS, tanto para o auxílio doença e o auxílio acidente.

Se continuar trabalhando, quais direitos o aposentado terá? O salário e a reabilitação profissional, que é usada quando o trabalhador precisa ser realocado das funções após acidentes que o impossibilite de exercer a função.

Saiba como Construir uma Aposentadoria Milionária em 4 Passos

Reprodução: Google

Aposentado pode sacar o FGTS? Sim, mesmo que continue trabalhando, ele poderá sacar o FGTS normalmente e mensalmente, após cada novo depósito do empregador.

Aposentado que continua trabalhando precisa pagar o INSS? Sim, se estiver com carteira assinada. Em caso contrário, se for autônomo, não tem essa exigência.

Aposentado que continua trabalhando pode pedir revisão? Pode, desde que o trabalhador tenha feito as contribuições para a previdência. Essa revisão pode aumentar o valor do benefício da aposentadoria, mas tudo deve ser feito com um advogado auxiliando porque pode, também, não ser nada vantajoso.

Pessoas continuam trabalhando depois dos 60 anos. E você, está preparado para ter uma aposentadoria milionária?

A busca pelo “incremento” da Renda da Aposentadoria é derivante de vários fatores, e mais recentemente, podemos citar também a crise econômica, o envelhecimento do país e os entraves da Previdência Privada (INSS). Isso fez com que vários aposentados voltassem ao mercado de trabalho por conta própria, seja com uma franquia, uma empresa ou um negócio “informal”, na maioria das vezes, com a prestação de serviços.

Para se ter uma ideia, segundo a pesquisa “Perfil do Microempreendedor Individual”, do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o número de Microempreendedores com mais de 50 anos aumentou 6 vezes, desde 2011, quando foram registrados 163.366 empreendedores. Os últimos dados da pesquisa são de 2015, quando foram contados mais de 950 mil empresas com pessoas desse perfil. Leia Mais!

Com informações do Economizareinvestir, organizze e Infomoney