Entenda tudo sobre o aleitamento materno e as finanças

ANÚNCIO

Pode parecer que são dois assuntos que não se relacionam. Mas, não é verdade. Há uma relação direta entre o aleitamento materno e as finanças. Tanto é que isso pode significar uma série de custos para o casal, desde acessórios até medicamentos.

Além do mais, o que queremos informar aqui é que mesmo que você não possa ou não queira optar pelo leite materno por muito tempo, tudo bem. A grande sacada é entender os custos de tudo – sem deixar de considerar os benefícios desse tipo de alimento para os bebês.

ANÚNCIO

Como são assuntos complementares e que dificilmente são relacionados, a gente optou por fazer o artigo em grandes tópicos. Sempre tentando unir os temas (finanças e aleitamento). Novamente lembrando você que a ideia não é julgar e sim trazer informações, ok?

Os custos da amamentação

A primeira coisa que trazemos aqui é uma curiosidade. Você já parou para pensar em quais são os custos da amamentação dos bebês? A gente foi atrás da resposta porque é uma dúvida que muitas mamães possuem. Então, vamos lá com base no que encontramos na internet.

No caso do aleitamento materno, teremos que pensar em mamadeiras, esterilizador, bombas, absorventes, pomadas, recipientes, etc. Logo, isso tudo para uma mãe que logo terá que voltar ao trabalho. Em 6 meses teremos um total de R$ 775. Ou seja, a média mensal é de R$ 129.

ANÚNCIO

No caso da amamentação que não é toda feita no peito, mas sim com fórmulas, a gente tem praticamente os gastos parecidos, mas o que temos que somar é justamente o leite em pó, a fórmula, o complemento. Nesse caso, teremos mais ou menos 18 latas nos 6 primeiros meses.

Então, a soma vai dar algo como R$ 870 no período ou R$ 145 no mês. Resumidamente, os gastos ficam bem próximos, o que quer dizer que não é desagradável dizer que amamentar no peito é mais barato. Porém, lembre-se que pode ser mais saudável.

As informações são do Finanças Femininas.

Então, por que amamentar no peito?

O segundo ponto para falar sobre aleitamento materno e as finanças é justamente para entender essa questão: já que o valor é o mesmo, então, quais os motivos que deveriam levar as mamães a dar preferência para o leite do peito?

Aqui entra justamente a questão das benesses desse tipo de alimento. O problema é que no Brasil, e em boa parte do mundo, faltam informações sobre isso. E aqui a crítica não fica somente para os órgãos de saúde, para os convênios médicos.

Mas, infelizmente, também há médicos pediatras que incentivam o uso de fórmula por vários motivos. Por exemplo, para o melhor ganho de peso do bebê ou para dar um efeito de sonolência quando ele não tem boas noites de sono.

No entanto, apenas quando isso se faz realmente necessário é que se recomenda o uso de tais fórmulas pediátricas. No contrário, a dica sempre é optar pelo leite materno. Mas, se o custo é o mesmo, por quê? Como já falamos porque isso vai ser mais econômico no futuro. Como assim?

Os custos com a saúde, especialmente os remédios

Há alguns estudos que provam que quando o bebê se alimenta com o leite do peito por um período mínimo de 6 meses, ele tem maiores chances de conseguir evitar problemas de doença no futuro, mas ainda na infância.

Como conseguinte, isso vai fazer com que evite os gastos com remédios, por exemplo. Portanto, sim, dá para dizer que dar o leite materno sempre que possível é bom para o bolso também. De qualquer modo, a gente sabe que cada situação é uma situação nova.

aleitamento materno e as finanças

E não fique constrangida ou com vergonha se você teve que mudar do leite do peito para as fórmulas. A questão é que você tem que entender que há motivos para dar esse leite humano sempre que der, que for possível, que as condições permitirem.

Por fim, ainda para falar sobre o aleitamento materno e as finanças, considere que a gente tem sempre que saber que para cada mamãe o gasto pode ser um, de valores variados. Isso vai desde o uso de pomadas até mesmo os recipientes ou fórmulas, que tem preços diferentes.

Curiosidade – quanto custa o parto particular

Ontem a gente fez uma matéria que fez muito sucesso, sobre o valor do parto cesárea particular. Você também tem curiosidade em saber disso? Considere que nós trouxemos as informações completas, do parto do SUS, do particular, da cesárea e do parto normal.

Claro que no SUS não há custos para as mamães e papais. Ainda assim, dá para saber qual é o investimento do governo nesse momento. Por outro lado, você sabia que uma cesárea particular pode custar até R$ 15 mil? É verdade, e a gente explica isso certinho.

Se você tem curiosidade sobre isso, leia a matéria completa.

Aliás, veja um trecho que publicamos: “A gente tem a informação da Associação Médica Brasileira de que o parto particular cesárea pode custar R$ 15 mil. No entanto, será que isso é verdade? Buscamos outras fontes sobre o assunto para avaliarmos a questão”.

ANÚNCIO