Como administrar o dinheiro ainda quando jovem?

Roupas, viagens, encontros com a galera e muitas outras despesas. Tudo isso faz parte da vida de muitos adolescentes e jovens que estão no início da vida. Mas, o que será que é e o que não é recomendado nessa época?

Vamos considerar um bom exemplo: de uma pessoa que já recebe o seu salário, só que está com dificuldade de vencer os desafios da vida financeira.

A ideia deste conteúdo é gerar ideias para que você tenha uma ideia melhor de como gerenciar a sua vida financeira e não torrar tudo, está bem?

Qual é o seu desafio para administrar a vida financeira?

Como administrar o dinheiro ainda quando jovem?

A realidade de muitas pessoas que começam a ganhar o primeiro salário é ver o dinheiro da conta indo embora. E esses gastos nem sempre são vistos ou revisados.

Com um dinheiro que a gente não ganhava antes, dá para ver que dá para comprar um monte de coisas diferentes. Dá para comprar ingressos, convites e tudo mais que você quiser.

Então, quando isso acontece, saiba que a gente pode acabar vivendo no limite e, de tanto gastar, logo a gente vai estar devendo para o banco.

E de uma hora para outra, o dinheiro que era suficiente para tudo desaparece.

O que vamos pensar sobre isso? É importante para a sua vida agora e é importante para a sua vida depois de casado, quando você tiver sua família, que você tenha uma coisinha chamada controle financeiro.

O orçamento

O orçamento é aquilo que vai determinar os limites daquilo que você vai gastar.

É dessa forma que você vai a passar a controlar as suas despesas e decidir onde você vai gastar seu salário. Entende isso?

E isso não vai acontecer simplesmente pelo saldo que estava no banco porque se você esperar ter saldo no banco você vai gastar tudo antes mesmo de contabilizar.

Então, tem que fazer o seu orçamento antes mesmo de receber.

Assim que receber, você não vai fazer um lançamento. Ao menos, não antes de você determinar o limite que você vai gastar para vestuário e para comer fora de casa e para sair com a galera e para as suas viagens e para as suas férias e para investir na sua carreira, etc.

Então, você precisa fazer um orçamento. Combinado?

O controle de gastos

Agora, traduzindo em palavras simples, o orçamento nada mais é do que você colocar no papel todas as suas despesas.

Você paga aluguel, paga o condomínio, a conta do telefone, a internet, as suas viagens, sair aí com os amigos… Tudo isso são gastos.

Dá para imaginar que você está fazendo planos para o futuro, como para se casar e ter a sua família também, não é mesmo?

Então, a dica é anotar tudo aquilo que você tem de despesa fixa. Ou seja, os gastos ditos essenciais para a sua sobrevivência. Talvez água, luz, internet, comida, etc.

A partir daí você vai determinar o quanto você gasta!

Tem despesa que você não tem como negociar, como o aluguel, que é um compromisso que você tem para ter onde morar. O mesmo vale para a internet, a água, a luz, etc.

Agora, tem também o valor que você pode variar. Quem sabe a sua alimentação no almoço… Dá para reduzir, não dá? Você faz uma média de quanto você gasta e tenta diminuir nos próximos meses.

Você vai ter todo mês essa conta, é verdade. Mas, ela é variável.

E assim você vai analisando todas as contas, como vestuário, viagens, presentes, saidinhas, jantar fora com os colegas do trabalho e por aí vai.

Você vai fazendo o seu orçamento dessas e outras despesas que não são prioritárias.

Você tem que avaliar que o total da sua despesa não pode ser maior do que o salário líquido, que caiu na sua conta bancária.  Está claro?

A reserva de emergência

Outra dica: separe parte do seu orçamento e da sua receita para você fazer a sua reserva financeira.

Isso é imprescindível para se ter uma vida mais tranquila a partir de agora e, especialmente, no futuro.

Ela é importante para tudo o que você for fazer na sua vida.

Separe uma boa parte do seu salário, o máximo que puder, sem que deixe de pagar as contas necessárias. Quem sabe uns 20% ou 25%?

Comece a fazer aquilo que a gente chama de poupança.

Em primeiro lugar, até leve em conta a sua poupança tradicional e ponha o dinheiro conforme você for juntando. Mas, quando tiver um recurso um pouco maior você pode começar a fazer investimentos que rendem mais.

Existem investimentos que rendem mais que a poupança e têm boa liquidez – que tem a possibilidade de você sacar o dinheiro. Bons exemplos são: Tesouro Direto e CDBs.

Você vai ver que ao fazer essa pequena reserva, você vai estar preparado para os imprevistos.

Isso porque sempre tem aquelas despesas extras que podem surgir no meio do caminho. Então, a reserva serve para não te deixar na mão.

Além de você pensar no seu futuro, você quer estudar fazer uma pós graduação? A reserva também poderá ser uma boa ideia.

Você vai começar a pensar no casamento? O mesmo.

O fato é que quanto maior for investimento agora, mais poupança você vai ter para fazer suas escolhas no futuro.

As receitas variáveis

Agora, por fim, vamos considerar que tem jovens que fazem renda extra, trabalhos como freelancers e ainda não possuem um serviço com salário fixo.

Isso não será problema se você tiver uma média mensal e souber se organizar financeira.

Cuidado para não incluir no seu orçamento uma receita que é variável. Então, faça médias e sempre use valores mínimos para não ter problemas.

Se o mínimo que você recebe é R$ 2 mil no mês, então, nunca faça contas acima disso se não você vai ter problemas para honrar com os seus compromissos.