5 Verdades para entender como funciona a Letra de Câmbio

ANÚNCIO

Antes de começarmos a falar das Letras de Câmbio, vamos retomar o que são CDBs (Certificados de Depósito Bancário). São aplicações que pagam uma remuneração baseada na Taxa CDI, popularmente conhecida como taxa Selic das instituições privadas e que, obviamente, acompanha a Taxa Selic.

Veja quanto seu investimento pode render com a queda da taxa Selic.

ANÚNCIO

Quando você investe no CDB, você está emprestando dinheiro à uma instituição, assim como acontece no Tesouro Direto, e esse investimento é super indicado quando os fundos pagam mais do que 100% da taxa CDI, o que, normalmente, é encontra em bancos de médio porte.

Os CDBs tem liquidez diária, mas não em todas as opções, por isso, é preciso ficar atento. Para atrair investidores, os bancos costuma eliminar taxas de administração. Não a toa, o CDB foi listado como uma das 3 melhores aplicações para serem feitas com o seu 13º salário. Descubra quais são as outras 2.

Finalmente, depois de uma singela explicação, vamos ao dito cujo, ou melhor, à dita cuja da Letra de Câmbio. “Elas são primas dos CDBs”, afirma a diretora do Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF), Marcia Dessen. “Ambos funcionam da mesma forma, com a diferença de que o CDB é emitido por bancos e as LCs por financeiras”, completa.

ANÚNCIO

Então, pessoal, quando alguém dizer “Letra de Câmbio” não se assuste, é apenas um nome bonito para explicar uma coisa que já sabemos. “As LCs eram bastante usadas nas décadas atrás, quando as financeiras emitiam os papéis em troca de dívidas das pessoas para pagar fogão e geladeira, que eram caros”, conta William Eid, da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Tal motivo explica por que o nome leva a palavra Câmbio, já que representa a troca de uma coisa por outra.

Ah, outra diferença com o CDB é que a LC não precisa de lastro, ou seja, só é possível emitir letras caso exista um volume de empréstimo correspondente que possa servir como garantia.

Entenda, agora, como funciona, de fato, uma Renda Fixa:

Para trazer luz à vocês, nobre leitores, listamos, com ajuda da revista Exame, 5 verdades sobre as Letras de Câmbio. Leiam, entendam e parem de se assustar apenas com o nome. Afinal, como está sendo visto, esse investimento não tem a ver com a operação do dólar, por exemplo, como muita gente imagina.

1 – LC não é mais arriscado do que CDB

O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) garante os dois investimentos, ou seja, o risco é o mesmo para quem aplica até 250 mil reais, limite válido por instituição e CPF.

A única diferença, que é preciso saber, é que as instituições, por serem menores do que os bancos, podem ter maior chance de demorar para reaver o seu dinheiro, o que o fará perder tempo de investir em outras modalidades durante esse tempo.

2 – A remuneração entre uma LC e um CDB não são iguais

A verdade é que a remuneração da LC normalmente é maior do que de um CDB, afinal, as LCs pagam 110%, 115% ou mesmo 120% da taxa DI (CDI). Claro que isso varia de acordo com o valor investido e o prazo dos papéis.

3 – LC não tem uma alíquota de Imposto de Renda maior

Por serem emitidas pelas financeiras, as pessoas pensam que as LCs são tem uma alíquota maior que outros investimentos, como o CDB. Mas isso não é verdade. A LC é tributada pela tabela regressiva de IR, ou seja, a mesma regra para os outros investimentos:

  • Até 180 dias – 22,5%
  • Entre 181 à 360 dias – 20%
  • De 361 à 720 dias – 17,5%
  • Acima de 721 dias – 15%.
Reprodução: Google
Reprodução: Google

4 – LC não é a queridinha dos bancos

Como não são emitidas pelos bancos, as LCs nunca vão ser oferecidas pelos gerentes. Essa alternativa de investimento vai precisar ser garimpada no mercado financeiro, até que se encontrem boas opções de papéis.

5 – As LCs nem sempre têm liquidez

Já vimos que elas tem boa remuneração e proteção do FGC, no entanto, a desvantagem é que elas podem ter pouca liquidez, dependendo do prazo dos papéis. Ou seja, se você quer vender sua Letra de Câmbio antes do vencimento, pode ser que você não encontre alguém disposto à comprar.

Isso é diferente dos CDBs, que são emitidos em maior quantidade e, além disso, tem um banco por trás, o que garante a facilidade da negociação.

Resumão da Letra de Câmbio

Depois de visto as 5 maiores verdades, e que pouquíssimas pessoas sabem sobre a Letra de Câmbio, vamos detalhar um pouco sobre ela, através de tópicos. Veja!

O que é: São títulos oferecidos pelas financeiras. É uma Renda Fixa procurada pela alta rentabilidade.

Saiba quanto você vai receber em uma Renda Fixa!

Prazo: Existem vários prazos de vencimento, sendo de curto ou longo prazo, sem a necessidade de existir um prazo mínimo.

Aplicação Mínima: A aplicação mínima é alta, comparada à outros investimentos, sendo que é preciso 30 mil para começar a investir nessa opção. Vale lembrar que as melhores taxas são pagas a com valores acima de 50 mil reais.

Tipos: Existem 3 tipos de LC. A prefixada é aquela que você já conhece a rentabilidade exata logo na contratação. A pós-fixada você só conhecerá a rentabilidade ao final do prazo. E a híbrida é aquela que está atrelada aos juros e também há um indexador, dessa forma, o rendimento também será variável.

Com informações da revista Exame

ANÚNCIO